Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6

Conclamação

Todos os textos aqui postados são de minha autoria, salvo aqueles em que estiverem as devidas referências bibliográficas e links.
Devemos ser originais em nossas colocações, mas não imaginários e sim embasados tão somente nas sagradas escrituras e respaldados pela lingüística, ciência, história e legislação humana.




Direitos do Blog

O blog Jesus Cristo Príncipe da Paz tem seus direitos respaldados nos incisos IV, VI e IX do artigo 5º da Constituição Federal, abaixo transcritos:



IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”

VI – “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos, salvo o dos que contrariem a ordem pública ou os bons costumes.”

IX – “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.



Respalda-se também Lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege o seguinte:

Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:– a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e obra.





Todos os dias do homem (Ser Humano).


"Os dias da nossa vida chegam a setenta anos, e se alguns
, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o orgulho deles é canseira e enfado, pois cedo se corta e vamos voando. "


Salmos 90 : 10


Quantos são os anos da vida de um homem (ser humano) ?


O dia de Nossa morte está escrito, ou previsto por Deus?

Pelo senso comum, aprendemos que o nascimento e a morte são fatídicos (possui dia certo para acontecer).

Exemplos:

Morte aos 25 anos por acidente de carro ;

Morte aos 17 anos por uso de entorpecente ;

Morte aos 60 anos por parada cardíaca ;

Nesses exemplos, temos um destinado traçado, ou será tudo conseqüência de Nossas escolhas ?

A morte de fato é fatídica, no entanto quando e de que forma não está determinado (destino).

Entenda por que:

Comecemos pelo provérbio que diz:

"Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte. "
Provérbios 14 : 12

Toda a Nossa existência é pautada em escolhas (volição / lívre -arbítrio), podemos escolher Nossos amigos, os lugares onde iremos, o que comeremos, se vamos fumar ou usar drogas, etc.

Cada escolha Nossa acarreta uma conseqüência.

A probabilidade de Eu morrer de overdose é bem maior se Eu usar drogas do que se Eu não usar (ironia minha).

Claro que só posso morrer desse mal, se me permitir a isso.

Existem muitas ditos populares que expressam essa idéia, como:


Somos o que pensamos ; (geramos em Nós mesmos males psicossomáticos de acordo com o que pensamos).

Mente sã, corpo são ; (contempla as doenças psicossomáticas)

Somos o que comemos ; (geramos doenças pela má alimentação).

No lugar errado, na hora errada; (expor-se a perigos).

Antes só do que mal acompanhado ;
(riscos inerentes as más amizades)


Salvo esses determinantes, Deus nos coloca condições em que podemos viver mais ou menos.

Nos dez mandamentos passados por Deus à Moisés temos apenas um mandamento com promessa.

Honrar Pai e Mãe

E qual é essa promessa?

Ter os dias prolongados (viver mais anos).


"Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR teu Deus te dá." Exodo 20:12

Inversamente e proporcionalmente falando, Se podemos ter os dias prolongados na terra, também podemos tê-los abreviado.



Veja o caso do Rei Ezequias:

"NAQUELES dias adoeceu Ezequias mortalmente; e o profeta Isaías, filho de Amós, veio a ele e lhe disse: Assim diz o SENHOR: Põe em ordem a tua casa, porque morrerás, e não viverás."

II Reis 20:1

Havia chegado ao fim os dias do Rei Ezequias em função de Suas escolhas.

No entanto depois de demonstrar arrependimento e pedido ao Senhor perdão, foi abençoado com um acréscimo de 15 anos em Seus dias.

"E acrescentarei aos teus dias quinze anos, e das mãos do rei da Assíria te livrarei, a ti e a esta cidade; e ampararei esta cidade por amor de mim, e por amor de Davi, meu servo."


II Reis 20:6

Temos outras inúmeras passagens onde o Senhor admoesta quanto as condutas, as escolhas que podem tanto acrescer como abreviar Nossos dias na terra.

"E, se andares nos meus caminhos, guardando os meus estatutos, e os meus mandamentos, como andou Davi teu pai, também prolongarei os teus dias."

I Reis 3:14

Observe o emprego da partícula condicional "Se".

Parafraseando ...

Se andares bem prolongarei Seus dias do contrário Não.



Outras passagens

"Então eu vos declaro hoje que, certamente, perecereis; não prolongareis os dias na terra a que vais, passando o Jordão, para que, entrando nela, a possuas;"

Dt 30:18

"Porque esta palavra não vos é vã, antes é a vossa vida; e por esta mesma palavra prolongareis os dias na terra a qual, passando o Jordão, ides a possuir."

Dt 32:47

Quem quizer conferir mais algumas passagens, aqui estão boas referências.

Dt 4:40 , Dt 5:16a, Dt 5:33 , Dt 6:26, Dt 11:9, Dt 22:7 , Dt 22:15


Mas e nos casos de catastrofes naturais, atentados terroristas, guerras,suicído, violência no trânsito ?

Catástrofes Naturais


As catástrofes naturais não dependem do que comemos, com quem andamos, mas ainda assim Nossas escolhas estão relacionadas aos riscos.

Tomemos, por exemplo, inundações como ocorridas no Rio de Janeiro.
As pessoas vitimadas em Sua grande maioria, são aquelas que residiam nas chamadas áreas de risco, ou seja, não escolheram morrer, mas construíram Suas casas em uma área em que essa possibilidades era inerente.
Ao deslizar a terra e as casas serem arrebatadas pela força das águas, os moradores encontraram a morte. Se tivessem evitado essas áreas estariam vivos hoje. Por mais que se doa, essa é a verdade.

De mesma sorte pessoas também perderam Suas vidas ao tentar salvar Seus carros das águas, nessa tentativa forma arrastadas pela correnteza.
Se tivesse tido a prudência, estariam vivas hoje. Novamente a liberdade de escolha dita o fim.


Atentados Terroristas e Guerras.

Mas e nesses casos ? Onde entra o livre-arbítrio?
Nesse caso, não somos vitimas do Nosso livre-arbítrio, mas sim do livre-arbítrio alheio.


Entenda porque:

Analisemos uma situação real, o "Onze de Setembro".

Pessoas estavam em sua rotina, realizando suas tarefas, e quando menos se espera, um, depois outro avião, atinge os prédios e mudam a história.

Pois bem, Os Estados Unidos da America, é um país que está sempre ligado a conflitos internacionais, grosso modo vive caminhando sobre ovos.
Dessa forma expõe todo o seu território, e conseqüentemente seu povo aos risco inerentes a quem coleciona inimigos.

De mesma sorte as guerras, os líderes das nações criam os conflitos, e muitos jovens são mandados ao combate e não retornam. Todo o território nacional torna-se um gigante alvo.
Por conseguinte todas as pessoas se tornam potencialmente "mortos-vivos".

Nos dois casos o livre-arbítrio de uns poucos, é responsável pelo "destino" de muitos.

Obs.:
Nem todos morrem, nisso repousa as misericórdias de Deus. (livramentos)

Suicídio


A maneira mais trágica de abreviar os dias, atentar contra sí mesmo, é demonstrar nenhum amor, pela dádiva da vida.
Nenhum amor e nenhum temor para com Deus.

Deus não leva ninguém ao suicido, essa é uma triste escolha humana.

"O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância."

João 10:10


Imperícia, Imprudência, Negligência.


Imperícia- Quando alguém se lança a fazer algo que não está apto, facilmente pode ceifar a própria vida ou a vida alheia em função dessa falta de capacidade.

Imprudência - Quando alguém que está apto a realizar determinada atividade (exemplo, dirigir um veículo), mas tomado por Sua altivez acaba realizando abusos, que tem como consequência, a morte.

Negligência - Quando algo que deveria ser feito ou poderia ser feito, não se consuma.

Um bom exemplo, são acidentes ocasionados por falta de manutenção preventiva, ou uma manutenção mal realizada.

Comuns em automóveis, maquinários, etc.

Mais uma excelente porta para se justificar a morte. (abreviar os dias)



Morte no transito. (violência).

Será que Deus planejou que fossemos assassinados no transito? Claro que não.

Muitas situações poderiam ser evitadas, muitas vidas preservadas, dias prolongados se fossemos mais tolerantes no trânsito.
Inumeras pessoas dirigem armadas e fazem das ruas, arenas.

Essas mortes são fatalidades, ou consequências do mal uso do livre-arbítrio?


Como viver mais:

Primeiro, Tema a Deus e atente para Seus mandamentos ;(Ec 12:13 , Dt 6:2)

Obs.: Mandamentos esses que se resumem em dois :(Mt 22:37-39)

Pratique esportes ; (conhecimento secular)

Como alimentos saudáveis ; (Lv 11)

Obs.: Não estamos debaixo da lei, mas esse capítulo demonstra o cuidado de Deus para com os alimentos.

Evite as más amizades ; (Sl 1:1 , I Co 15:33)

Evite situações de riscos. (Pv 14:12)


Em Suma:

Em Nossa vidas temos a morte como fatalidade ( o fato), mas não quando e nem a forma que morreremos.

Nossos dias podem ser abreviados ou prolongados.




Shalom Adonai







2 comentários:

João Carlos disse...

Vanderlei, meu querido irmão!

Arrumei pra tua cabeça. Caso queira, participe deste Meme Literário. Clica lá no meu blog: http://superjotablog.blogspot.com/2011/03/meme-literario.html

Um abraço!

JC

principe_da_paz disse...

Já que não tem pra onde correr ! rsrs

Forte abraço JC !