Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6

Conclamação

Todos os textos aqui postados são de minha autoria, salvo aqueles em que estiverem as devidas referências bibliográficas e links.
Devemos ser originais em nossas colocações, mas não imaginários e sim embasados tão somente nas sagradas escrituras e respaldados pela lingüística, ciência, história e legislação humana.




Direitos do Blog

O blog Jesus Cristo Príncipe da Paz tem seus direitos respaldados nos incisos IV, VI e IX do artigo 5º da Constituição Federal, abaixo transcritos:



IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”

VI – “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos, salvo o dos que contrariem a ordem pública ou os bons costumes.”

IX – “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.



Respalda-se também Lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege o seguinte:

Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:– a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e obra.





Oração pelos mortos. Devemos ou não orar ?


   
Não existe (que Eu conheça) nenhuma proibição direta a oração pelos mortos, contudo também não há nenhuma passagem que incentive a prática. Nesse caso vamos examinar o porquê de orar ou não.
Os católicos oram pelos mortos com a intenção de levar algum lenitivo a alma do falecido. A base para isso encontra-se no livro Apócrifo de II Macabeus (12:41-46). Essa é a base doutrinária para o dogma do purgatório e, por conseguinte das indulgencias.

“Bendisseram, pois, a mão do justo juiz, o Senhor, que faz aparecer as coisas ocultas,
e puseram-se em oração, para implorar-lhe o perdão completo do pecado cometido. O nobre Judas falou à multidão, exortando-a a evitar qualquer transgressão, ao ver diante dos olhos o mal que havia sucedido aos que foram mortos por causa dos pecados.
Em seguida, fez uma coleta, enviando a Jerusalém cerca de dez mil dracmas, para que se oferecesse um sacrifício pelos pecados: belo e santo modo de agir, decorrente de sua crença na ressurreição,porque, se ele não julgasse que os mortos ressuscitariam, teria sido vão e supérfluo rezar por eles.
Mas, se ele acreditava que uma bela recompensa aguarda os que morrem piedosamente,
era esse um bom e religioso pensamento; eis por que ele pediu um sacrifício expiatório para que os mortos fossem livres de suas faltas.

II Macabeus 12:41-46

Então podemos afirmar que quem ora pelos mortos, ora por suas almas, visando alento e perdão dos pecados.
Eis o ponto, não é possível fazer mais nada por aqueles que já partiram. As Escrituras são bem claras ao asseverar que depois da morte segue-se o juízo.

“E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,”

Hb 9:27

Veja a parábola do rico e Lázaro  (Lc 16:19-31), lá temos a comprovação dessa verdade, lá está o rico em um lugar de tormentos e Lázaro em gozo no paraíso (Seio de Abraão).
Ademais vemos na pregação do Reino que o tempo para salvação é hoje (em vida).

“Porque diz: Ouvi-te em tempo aceitável E socorri-te no dia da salvação; Eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação”

II Coríntios 6 : 2

Ref. A Isaias 49: 8

"Portanto, como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje a sua voz,"

Hb 3:7

Outro ponto:

Ainda que seja lícito orar, será que os mortos estão cônsules do que ocorre aqui ? (no mundo dos vivos).

“Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, mas a sua memória fica entregue ao esquecimento”

 Eclesiastes 9 : 5




Podemos lembrar dos  mortos? DEVEMOS.

Deus lembrava dos mortos, O Senhor diz:


 “Ora, Deus não é Deus de mortos, mas de vivos; porque para ele vivem todos. “   Lucas 20 : 38

“Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó? Ora, Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos. Mateus 22 : 32


Os judeus comemoram seus mortos.

É costume judaico comemorar anualmente seus mortos (Yahrzeit ) , algo como o dia de finados.
O mais próximo de uma oração pelos mortos é o Kadish (hino de louvor a Deus), por muitos considerado como uma oração pelos mortos, mas na verdade é um hino de exaltação da vida sobre a morte. Lembre-se Deus é Deus de vivos e não de mortos.

A morte física não é o fim de tudo.


E qual o nosso lenitivo, qual a nossa esperança?

É a ressurreição dos mortos.

Não sei qual a situação  dos seus mortos, mas se morreram em Cristo tranqüilize-se, pois haverá de vê-los novamente e por certo eles estão bem agora. (Lc 16:19:30 , Lc 23:43)

Irmãos fiquem com o presente versículo como acalanto para suas almas.

Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança.
Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele."  I Ts 4:13-14


Em suma, lembre-se do seus mortos como quando estavam vivo, as coisas que fizeram e disseram,mantenham-nos vivos em sua memória,naquilo que deixaram. Nunca se esqueçam  deles.


                            Baruch Dayan Emet  (Bendito seja o verdadeiro juiz)

0 comentários: