Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6

Conclamação

Todos os textos aqui postados são de minha autoria, salvo aqueles em que estiverem as devidas referências bibliográficas e links.
Devemos ser originais em nossas colocações, mas não imaginários e sim embasados tão somente nas sagradas escrituras e respaldados pela lingüística, ciência, história e legislação humana.




Direitos do Blog

O blog Jesus Cristo Príncipe da Paz tem seus direitos respaldados nos incisos IV, VI e IX do artigo 5º da Constituição Federal, abaixo transcritos:



IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”

VI – “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos, salvo o dos que contrariem a ordem pública ou os bons costumes.”

IX – “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.



Respalda-se também Lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege o seguinte:

Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:– a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e obra.





Milenismo , Amiilenismo e Pós-Milenismo


Concernente aos últimos dias (escatologia), existem três correntes acerca da 2ª vinda de Jesus e seu governo milenar.

A saber: Amilenismo, e Milenismo, sendo que esse segundo se divide em três sub-grupos: Pré-Milenismo, Mid (ou Meso)-Milenismo e Pós-Milenismo.

O que defende cada um destes?

Iniciemos pelo Amilenismo.

Essa é a corrente que defende que Jesus não virá literalmente ao fim da grande tribulação, estabelecer um Reino de mil anos. Para eles, todo o Novo Testamento compreende o milênio (desde a primeira vinda de Jesus até o fim do mundo).
Os textos escatológicos não devem ser interpretados literalmente. Método utilizado alegórico.


Pós-Milenismo


Para eles Jesus virá literalmente, mas não antes do milênio,ou seja, mil anos não significam necessariamente esse período de tempo, mas pode ser um pouco menos ou até mesmo um pouco mais. O acertado é: Jesus só voltará depois que a ordem for estabelecida, o que significa que a ordem não se dará por conta da vinda de Jesus, mas sim que, Jesus voltará somente depois que a Igreja por mérito próprio estabelecer a paz.
O método interpretativo dos textos escatológicos é o não literal (alegórico)


Milenismo

Corrente que defende a literalidade dos mil anos, compreende os acontecimentos descritos no livro de Apocalipse como literais. Para sua interpretação faz uso do método histórico- gramatical.
É a corrente predominante no meio cristão, contudo se divide em três sub-grupos, que divergem quanto ao arrebatamento da Igreja, o Advento de Jesus e o por conseguinte a implantação do Reino Milenar.


Vejamos as idéias defendidas pelos três grupos:


Pré-tribulacionismo:


Defendem que a Igreja de Cristo, não passará pela grande tribulação que há de vir, mas experimenta o princípio das dores.
Segundo eles, apenas os judeus, os ímpios e os desviados da Igreja passarão pelos horrores futuros. Os eleitos no caso serão arrebatados e ficaram no céu com Jesus, pelo espaço de tempo de sete anos, no qual será comemorada as bodas do cordeiro.

Durante o período da grande tribulação, muitos se converterão e morrerão ao não aceitarem o governo do Anticristo e receberem o selo de Satanás, o 666.
Esses desviados arrependidos serão os mártires da glória.

Após o período de sete anos Jesus voltará com seus anjos e seus santos, derrotará Satanás e estabelecerá o Reino na Terra por mil anos literais.


Para tanto, a volta de Jesus se dará em duas etapas: Na primeira ele vem invisível, arrebata a Igreja, na segunda ele volta com a Igreja após os sete anos e nesta todo olho o verá.
É a crença da maior parte das Igrejas,e defendida com unhas e dentes pelas Assembleias de Deus e demais denominações evangélicas e protestantes.

Mid-Tribulacionismo

Praticamente a mesma coisa que o pré-tribulacionismo, com a seguinte diferença: Creem que a Igreja será arrebatada no meio da grande tribulação, ou seja, com três anos e meio de governo do maligno. E por consequência a Igreja permanecerá por três anos e meio no céu, após esse período seguem os mesmos acontecimentos aguardados e defendidos pelos pré-tribulacionistas. (Como descritos acima)




Pós-Milenismo 

Esse grupo (do qual faço parte) defendem que não existe uma segunda vinda de Jesus em duas etapas, mas sim, que Jesus voltará segunda vez e por ocasião disso, arrebatará a Igreja e ressuscitará os mortos (1º ressurreição), tudo num único evento, em seguida estabelecerá o Reino.
Isso significa que não só os princípios das dores (que já estamos vivendo), mas todo o processo da tribulação será vivenciado pela Igreja de Cristo.
No mais, cresse que o Reino de Cristo será literal, ele governará todas as Nações a partir de Jerusalém.

Anteriormente fiz uma postagem chamada dispensacionalismo - A teologia de John Nelson Derby, onde elucido a origem da doutrina pré-tribulacionista (nascida no século XlX).

Em continuação a estas duas postagens (está presente e a acima citada), estarei preparando uma terceira postagem onde consolidarei a doutrina pós-tribulacionista em detrimento a pré-tribulacionista.


Nota: 

Tanto para os Amilenistas quanto para os Pós-Milenistas, Apocalipse 20:4-6 é um texto alegórico.

Na próxima postagem que encerra esse estudo,serão dadas todas as referências bíblicas (livros, capítulos e versículos) tanto na refutação como na defesa das idéias.



Baruch Habá !




0 comentários: