Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6

Conclamação

Todos os textos aqui postados são de minha autoria, salvo aqueles em que estiverem as devidas referências bibliográficas e links.
Devemos ser originais em nossas colocações, mas não imaginários e sim embasados tão somente nas sagradas escrituras e respaldados pela lingüística, ciência, história e legislação humana.




Direitos do Blog

O blog Jesus Cristo Príncipe da Paz tem seus direitos respaldados nos incisos IV, VI e IX do artigo 5º da Constituição Federal, abaixo transcritos:



IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”

VI – “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos, salvo o dos que contrariem a ordem pública ou os bons costumes.”

IX – “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.



Respalda-se também Lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege o seguinte:

Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:– a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e obra.





Os livros sagrados e os livros fundamentais da Fé judaíca



Dentro do Judaísmo existem os livros sagrados que são comuns também ao Cristianismo, chamados pelos judeus de: Tanah (que é o conjunto de Torah (Lei ou Instrução), Nevi'im (Profetas), K'tuvim (Escritos) ), esse conjunto de livros é conhecido pelos cristãos por: Velho Testamento.

Juntamente com este livro Tanah (Velho Testamento), temos também a Brit Hadashá (Novo Testamento), e ambos, em conjunto compõe a chamada Bíblia Sagrada, mas vale salientar que isso apenas para os Cristãos e os Judeus cujo seguimento reconhece a Yeshua (Jesus) como verdadeiro Messias, Filho de D-us, a esse seguimento dá-se o nome de Judaísmo Messiânico.

Para os demais seguimentos judaicos apenas a Tanah é verdadeira e inspirada por D-us.

Além destes dois importantes e sagrados livros, há outros livros de suma importância para os judeus, seu valor é histórico e litúrgico.

São eles:

O Talmud 

Praticamente, é a forma escrita de toda a instrução rabínica passada oralmente de geração a geração, a partir de Moshé (Moisés).


Compões de duas partes a Mishná e Guemará.

Ambas contem regras legais e discussões, dissecando e esclarecendo estas regras.
São dois Talmud, o de Jerusalém e o Babilônico, sendo este segundo considerado o mais importante e reconhecido sua plena autoridade.

O Midrash

Ao lado do Talmud desenvolveu-se outra literatura, que pode ser chamada de expressão poética ou espiritual do pensamento judaico.
Enquanto o Talmud se dedica principalmente à explicação da letra, o Midrash revela o espírito da palavra e da Lei.

O Midrash é o equivalente dentro da Teologia Cristã a Exegese / Homilética (Interpretação da Escrituras).

Midrash = Mi = Relação  /  Drash = Homilética, Interpretação. 

O Mishné Torah 

Conhecido como código de Maimônides - registra sistemática e logicamente a lei judaica. Foi escrita pelo Moshe ben Maimon.

Como já foi citado anteriormente aqui no Blog, Maimônides (Rambam) foi o autor dos treze princípios da Fé Judaíca.

Zohar

Trata-se de comentários místicos sobre a Torah, escrito em aramaico e hebraico medieval, é a base da Kabbalah (Misticismo Judaíco).

Não é de aceitação unanime.

Sidur

É um livro de orações tradicionais judaicas. Ele é muito utilizado pelos judeus, em suas orações diárias, e em ocasiões sagradas e solenes como os Shabat (Sábados) e as festas (como Páscoa, Tabernáculos, etc.)

Dentro do contexto e para finalizar falemos sobre a Parasha e a Haftará. 

Na época de Esdras e Neemias e da grande assembleia, quando o estudo da Torah foi restaurado, a Torah foi dividida em 54 porções, que correspondem as 54 semanas do calendário lunar dos judeus, cada uma dessas porções são chamadas de Parashiot.

O estudo das Parashiot começa após o início do ano novo judaico. Desta forma, o estudo tem início em Bereshit (Gênesis) e ao termino do ano judaico toda a Torah terá sido estudada.

Haftará, cujo plural é Haftarot é a parte do livro dos profetas (Nevi'im) e históricos / escritos (K'tuvim).
São lidos nas sinagogas depois da leitura da Torah, após o serviço matutino.

Esta pratica é oriunda ao período em que houve a proibição da leitura da Torah por parte de Antíoco Epifânio IV que dominou os judeus da época. O mesmo era indiferente a leitura de Nevi'im e K'tuvim, então os judeus adotaram a pratica da leitura e o fazem até hoje.





"Pois de Tzyon procederá a Torah, a Palavra de Adonai de Yerushalayim" 

Yesha'yahu (Isaias) 2:3





By Vanderlei L. Borkoski








0 comentários: