Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6

Conclamação

Todos os textos aqui postados são de minha autoria, salvo aqueles em que estiverem as devidas referências bibliográficas e links.
Devemos ser originais em nossas colocações, mas não imaginários e sim embasados tão somente nas sagradas escrituras e respaldados pela lingüística, ciência, história e legislação humana.




Direitos do Blog

O blog Jesus Cristo Príncipe da Paz tem seus direitos respaldados nos incisos IV, VI e IX do artigo 5º da Constituição Federal, abaixo transcritos:



IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”

VI – “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos, salvo o dos que contrariem a ordem pública ou os bons costumes.”

IX – “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.



Respalda-se também Lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege o seguinte:

Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:– a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e obra.





A Epístola de palha - Fé e obras ou uma ou outra ?


Lutero o patrono do protestantismo tinha em mente que Nós (Igreja) deveríamos nos guiar apenas pelos ditames do Novo Testamento, e nesse ponto não posso discordar, o Antigo Testamento é por certo de grande importância, pois nos revela a Deus, Sua vontade, Seus mandamentos, a história do surgimento, crescimento e fatídica queda que nos permitiu sermos enxertados, mas ainda assim é a Antiga Aliança e com Cristo tudo se fez novo.(II Co 3:6, II Co 5:17 , Hb 8:13, Hb 12:24)

Até aqui tudo bem, mas a questão é outra. Lutero que reconhecia a inspiração divina do Novo Testamento era anátema da Epístola de Tiago, chegando ao extremo de taxá-la "epístola de palha".

Mas porque isso? Seria possível que todo o Novo Testamento fosse inspirado salvo essa epístola ?

Vamos tentar entender o que houve.

Lutero defendia que a Salvação era somente por fé (não necessita obras), mas a epístola de Tiago aparentemente revela o oposto.

"Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé."

Tiago 2:24


Asseverou Lutero:

"Se eu tivesse que ficar sem uma ou outra -- ou as obras ou a pregação de Cristo -- eu antes ficaria sem suas obras do que sem sua pregação. Pois as obras não me ajudam, mas suas palavras dão vida, como ele mesmo diz. Ora, João escreve muito pouco sobre as obras de Cristo, mas muito sobre sua pregação.
Os outros evangelistas escrevem muito de suas obras e pouco de sua pregação. Portanto, o evangelho de João é aquele terno, verdadeiro, de longe o principal evangelho a ser preferido aos outros três e colocado acima deles. Assim, também, as epístolas de São Paulo e São Pedro, ultrapassam de longe os outros três Evangelhos, Mateus, Marcos e Lucas.
Numa palavra, o evangelho de São João e sua primeira epístola, as epístolas de São Paulo, especialmente Romanos, Gálatas e Efésios, e a primeira epístola de São Pedro são os livros que nos mostram Cristo e que nos ensinam tudo o que é necessário e bom para conhecermos, ainda que nunca se veja nem ouça qualquer outro livro ou doutrina. Portanto, a epístola de São Tiago é realmente uma epístola de palha, comparada com as outras, pois não tem nada da natureza do evangelho nela."


Luther, Works of Martin Luther - The Philadelphia Edition, trans. C. M. Jacobs, vol 6. Preface to the New Testament (Grand Rapids: Baker Book House, 1982), páginas 439-444. Consoante citação em  Bercot, David W., Will The Real Heretics Please Stand Up, (Scroll Publishing, 1989), página 112.

A discordância de Lutero contemplava também os Evangelhos como pode ser observado pela citação acima. Qualquer coisa que fosse contrária a "doutrina de Lutero" era tratada a revelia.

Vamos complicar um pouco mais, antes de esclarecer.

O apóstolo Paulo aparentemente ensinou o oposto do que Tiago. Observe:

 "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
Não vem das obras, para que ninguém se glorie;"

Efésios 2:8-9

"Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada."

Gálatas 2: 16

E ainda: Rm 5:1, Gl 3:24, Tito 3:7, Rm 11:6



Podemos inferir que Lutero seguia o magistério de Paulo, quanto à justificação. O ponto é será que realmente há uma contradição entre Paulo e Tiago? Isso justifica "descartarmos" a epístola de Tiago e dar razão a  Lutero?

Na epístola aos Efésios, logo após afirmar que não somos justificados por obras, mas sim por fé Paulo também nos diz que somos feitos para andar na obras que Deus dantes preparou.

"Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas."

Ef  2:10

Isso significa que fomos criados para realizar boas obras, contudo temos que ser primeiro justificados por Cristo, sermos feitura de Deus criados em Cristo. Após isso as boas obras que realizaremos serão um caminho previamente preparado por Deus.

Tiago assevera: 

"Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras."

Tiago 2 : 18

Veja que Tiago não repudia a fé, mas nega que se possa haver fé (verdadeira) sem que haja obras, ou seja, as obras como sinal de fé.

E ele tem toda razão, pois como revelou Paulo, quando estamos em Cristo, andaremos nas obras que Deus preparou para que andássemos. Obras são intrínsecas a Salvação.

Pedro também admoesta os cristãos as boas obras.

'Tendo o vosso viver honesto entre os gentios; para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem."

I Pedro 2 : 12

Pedro deixa claro que um viver honesto, denota em bom  testemunho que põe por terra toda injúria que possa ser lançada sobre um cristão. Essa é uma boa obra.

Quando Paulo falou contrário a obras, ele tinha um escopo em vista, fazia menção às obras da lei.

"Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado."

Romanos 3 : 20

"Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei."

Romanos 3 : 28

"Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada."

Gálatas 2 : 16

Perceba que Paulo não fala contra obras (boas ações), mas sim contra obras da lei  (ordenanças – “Cl 2:14” ), de mesma sorte que Tiago não pregava obras da lei para justificação, mas sim boas ações. 

 Para Tiago a preocupação era com as classes desfavorecidas (párias da sociedade)

 "A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo."

Tiago 1 : 27

Para encerrar a compreensão tomemos o exemplo de Abraão citado tanto por Paulo como por Tiago.

"Pela fé ofereceu Abraão a Isaque, quando foi provado; sim, aquele que recebera as promessas ofereceu o seu unigênito."

Hb 11:17 

"Assim como Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça."

Gl 3:6

"Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia."

Hebreus 11 : 8

Paulo diz que Abraão pela fé agiu, ou seja, Ele demonstrou sua fé pela sua ação (Pela fé ofereceu Isaque, pela fé saiu sem saber para onde ia).

"Porventura o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque? 
Bem vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada.
E cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abraão em Deus, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de Deus.
Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé"
Tiago 2 : 21 -24

Tiago diz que a fé cooperou com as obras, ou seja, foi por ter fé que realizou as obras, por sua vez as obras aprimoraram a fé, pois é a demonstração efetiva de que há fé, ou seja, andar nas obras que Deus previamente preparou para que andássemos. (Ef 2:10)

Se alguém realmente tem fé, isso fica patente pelas obras que realiza, não pode haver uma fé egoísta onde creio para ser salvo, mas cruzo os meus braços e deixo a vida me levar.

A Nossa Salvação se dá apenas através do Cristo, mas as obras tem sua importância (I Co 15:58), e pelas nossas obras que seremos galardoados (lembrando que os galardões competem somente aos salvos, por isso não implica em perdição)

"A obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um.
Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão.
Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo."

 I Co 3:13-15

Lutero, jamais poderia preterir os Evangelhos e a epístola de Tiago só porque aparentemente eram contrárias a sua interpretação. Faltou a Ele mais empenho em interpretar as Escrituras, pode até soar como pretensão minha afirmar isso de Lutero, mas falo sem medo de errar.

Pra encerrar meditemos nas palavras de Jesus...


"Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;
Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me.

E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes."
Mateus 25:34-36 e 40




Jesus Cristo - O homem. Yeshua ben Yosef



O objetivo da presente postagem é abordar de maneira exaustiva a existência física do Senhor Jesus Cristo.
A despeito da crença de que Jesus seja ou não Deus, seja ou não um Deus Tri-uno ou Uno. O que nos interessa nesse momento é Sua humanidade.

Partamos da proposição de que Jesus é o Cristo (Yeshua Hamashiach) - o Filho do Deus Vivo (YHVH), e isso nos basta.

Para uma melhor explanação vou levantar questões e responder as mesmas.

1º. É preciso crer na suposta divindade de Jesus para sermos salvos ?

De forma alguma. Como já bem disse no princípio do presente estudo, independente de Jesus ser ou não Deus, em nada altera sua missão, e o processo em que se dá a Salvação Humana.

Vamos as Escrituras:

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

João 3:16


O texto áureo da Bíblia é bem claro : Deus deu Seu Filho Unigênito (único no gênero) para nos trazer Salvação.Mediante Nossa fé seremos salvos.


Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece. 

João 3 : 36


E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. 

João 17 : 3


2º. Jesus era Todo poderoso na carne. Tinha os atributos divinos ?


Novamente a resposta é não. Basta observar que o Ministério de Jesus iniciou logo após o Seu batismo. A saber: os milagres, as manifestações de Seu poder, a ordenação de Seus Apóstolos.
Podemos afirmar então que o poder manifesto de Jesus originou-se do Espírito Santo.



E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. 

Mateus 3 : 16


Independente da crença se o Espírito Santo é parte do Deus Tri-uno ou Deus Uno, ou ainda a manifestação do Poder de Deus, o fato é quando o Espírito Santo é derramado, há a visível manifestação do poder de Deus.
Basta vermos sua ação no Antigo Testamento (Tanach) onde o Espírito Santo é que capacitava os profetas, os Juízes a exemplo a força sobre- humana de Sansão.

E no Novo Testamento (B'rit Hadasha) o derramamento do Espírito Santo sobre toda a carne, conforme profecias contidas na Tanach (Joel 2:28-29 , Is 44:3, At 2:2, Mc 16:17-18) , capacitando-os a pregar o evangelho com sinais e prodígios (comumente chamado Pentecostes).


3º. Os principais atributos divinos são: Onisciência, Onipresença e Onipotência, Jesus detinha tais atributos enquanto homem ?

É claro que não. Jesus usou os meios de transporte de sua época para se deslocar "um lugar por vez" -  (Mt 14:13,Mc 5:21), Jesus podia sim realizar qualquer coisa, porque para isso não precisava Ser Deus , mas sim exercer fé, como ele mesmo disse. Aliás disse que Nós também poderíamos realizar grandes milagres tais quais realizou e ainda maiores SE crescemos.(Mt 21:21, Jo 14:12)
Jesus não era onisciente,Ele mesmo deixou isso patente.

Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai

Mt 24 : 36

4º. Jesus era 100% homem 100% Deus como afirmam a maioria dos Cristãos ?

A essa crença dá-se o nome de união hipostática. Foi dogmatizada no Concílio da Calcedonia em 451 d.EC
Afirma-se que Jesus em sua forma humana contemplava a natureza divina e a natureza humana. Isso por causa da concepção no ventre de Maria sem contato humano, mas sim através da  virtude do Espírito de Deus (Deus encarnado).
Os que creem dessa forma são chamados diofisistas e os que não crêem são monofisistas.

Eu sigo a corrente dos monofisistas. Para mim 100 + 100 = 200. Brincadeira a parte, Jesus foi sim, concebido de forma sobrenatural (sem conjunção carnal), mas de forma alguma isso implica que Ele seja por essa razão Deus na carne.

Veja porque nas Escrituras:

I. Jesus não sabia todas as coisas e foi necessário educá-lo e intruí-lo, o que não seria necessário se fosse Deus na carne (pressupondo a onisciência intrínseca a Deus). Seu crescimento se deu física, espiritual e intelectualmente.

E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.  

Lucas 2 : 52

II. Era necessário que Jesus em tudo fosse tentado tal qual ocorre conosco, para que resistindo se consolida-se como Salvador. Ou seja, Jesus nasceu sem pecado (clique aqui e leia a postagem Jesus - o homem sem pecado), mas era necessário permanecer sem pecado para vencer o inimigo.Se Ele fosse Deus na carne, seria por demais simples para Ele resistir ao mal, haja vista que Deus a ninguém tenta e por ninguém pode ser tentado. (Tg 1:13)

Por isso convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo.
Porque naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados.
 

Hebreus 2:17-18

III. Somente após a ressurreição Jesus declarou que lhe foi dado Todo o Poder, pressupõe-se que se Jesus tivesse de fato duas naturezas enquanto homem seria no mínimo redundante dizer que o poder lhe era dado, haja vista TODO O PODER (onipotência) ser uma característica intrínseca de Deus.

E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.

Mateus 28:18



IV. Jesus demonstrou muito dos atributos humanos, desde alegria e tristeza até ira e medo.

Jesus chorou (João 11:35) ; Irou-se (Mt 21:12 , Jo 2:13-16) ; Encheu-se de íntima compaixão (Mt 14:14) ,

Sentiu medo ( Mc 14:35-36), Entristeceu-se profundamente (Mc 14:34).


Nota: Irar-se não implica que haja pecado, são coisas distintas. No caso de Jesus foi o que chamamos ira de justiça.(Ef 4:26-27)


Muitas outras razões poderiam aqui ser listadas em oposição ao dogma da união hipostática, mas creio que as quatro  supracitadas sejam suficientes.
No entanto é digno de nota lembrar que esse dogma foi criado para dar concordância com o dogma da trindade onde estabelece que Jesus é a 2º. pessoa divina do Deus tri-uno. (Concílio de Nicéia 325 d.EC) Então nada mais lógico para a igreja Católica que Deus tenha se manifestado na carne.

 Se o fato de Jesus ter sido concebido sem conjunção carnal for subsídio suficiente para afirmar que Ele é Deus encarnado, então posso afirmar sem medo de errar que Adão também o é, afinal Ele também não possui pais humanos, mas fora criado diretamente por Deus. Percebe a falácia ?

 Todo o protestantismo e o evangelicalismo bebem da fonte de Roma, para a vergonha Nossa.



Jesus o profeta

Jesus nos veio como Salvador, isso é um axioma, mas não devemos esquecer que Jesus foi enviado como profeta a nação de Israel.
Sua vinda havia sido profetizada por Moisés, era esperado um profeta semelhante a Ele (Moisés).(Dt 18:15, 18)

Certa ocasião ouvi o testemunho de um judeu convertido a Cristo (na CCB), onde Ele expos o paralelismo que há entre Cristo e Moisés. Tirando a fé de que Jesus seja Deus ou Filho de Deus, e focando apenas no seu oficio profético, para os judeus Ele (Jesus) não é maior que Moisés.

Jesus andou sobre a água (Mt 14:25) , Moisés abriu o Mar Vermelho (Ex 14:16) ;

Jesus multiplicou os pães (Mt 14:19), Moisés tirou água da rocha (Nm 20:11) ;

Jesus transformou a água em vinho (Jo 2:7-9) , Moisés transformou o Rio em sangue.(Êx 7:20) ;

Com isso não digo que Moisés é maior que Jesus, mas traço o paralelo profético de ambos.

De mesma sorte Jesus ressuscitou mortos, o profeta Eliseu também (II Rs 4:8-37) , e ainda Josué parou o sol (Js 10:3) , Elias fez com que não chovesse por três anos (Tg 5:17), e muitos outros milagres estão registrados entre os profetas.

O que tudo isso prova ? Que não era preciso que Jesus fosse Deus na carne para realizar grandes obras, mas sim que o Espírito de Deus fosse sobre a vida dele e que Sua fé fosse suficiente para tanto.

E isso de alguma forma desmerece a Cristo, muito pelo contrário, realça Seus atributos como homem de Deus, Sua missão, Seu sacrifício, haja vista ser homem como todo homem (salvo pela sua concepção de forma única), e ainda assim ter sido forte, fiel e verdadeiro para com  Deus (YHVH).



Não é o Jesus Deus, ou o Jesus Filho de Deus que ganhou o mundo e rompeu as barreiras das crenças, mas sim o Jesus profeta, o Jesus Homem.
O propagação da verdade eterna de Jesus como Filho de Deus e Salvador dos homens é incumbência da Igreja divulgar, mas Seus ensinamentos transcenderam as fronteiras, Ele é conhecido e respeitado pelos budistas, pelos indianos, pelos mulçumanos e inúmeras crenças distintas a essas.

Que fique claro que a rejeição de outras religiões e de outras países a Cristo em parte se dá não pelo Cristo em sí, mas pela abordagem mal feita por parte de representantes da Igreja ao longo da história, com atos de violência e intolerância, como os registrados nos anais da história pela  Santa inquisição, Cruzadas, Reforma Protestante, Contra Reforma, etc. 
 
"Não conheço ninguém que tenha feito mais para a humanidade do que Jesus. De fato, não há nada de errado no cristianismo. O problema são vocês, cristãos. Vocês nem começaram a viver segundo os seus próprios ensinamentos."


Mahatma Gandhi



Num segundo momento estarei fazendo duas novas postagens onde abordarei com mais detalhes, Jesus e as religiões não cristãs e Jesus pré-existente. Que junto com a presente postagem encerra a compreensão da pessoa, missão e origem de Jesus o Cristo.


Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; 

Filipenses 2 : 9



Shalom Chaver !