Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6

Conclamação

Todos os textos aqui postados são de minha autoria, salvo aqueles em que estiverem as devidas referências bibliográficas e links.
Devemos ser originais em nossas colocações, mas não imaginários e sim embasados tão somente nas sagradas escrituras e respaldados pela lingüística, ciência, história e legislação humana.




Direitos do Blog

O blog Jesus Cristo Príncipe da Paz tem seus direitos respaldados nos incisos IV, VI e IX do artigo 5º da Constituição Federal, abaixo transcritos:



IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”

VI – “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos, salvo o dos que contrariem a ordem pública ou os bons costumes.”

IX – “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.



Respalda-se também Lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege o seguinte:

Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:– a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e obra.





A ceia do Senhor


O objetivo dessa postagem é compreender a ordenança da Santa Ceia, estabelecida por Nosso Senhor Jesus Cristo em sua última Páscoa Judaíca.

Nas palavras do Cristo ...

"Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, deu graças, partiu-o, e o deu aos seus discípulos, dizendo: “Tomem e comam; isto é o meu corpo”.
Em seguida tomou o cálice, deu graças e o ofereceu aos discípulos, dizendo: “Bebam dele todos vocês. 
Isto é o meu sangue da aliançac, que é derramado em favor de muitos, para perdão de pecados."

Mateus 26:28

Como bem sabemos a Bíblia é cheia de tipos (profecias em figuras), sombras das coisas futuras.

A ordenança da Santa Ceia (pão e vinho) já havia sido prefigurado pelo Sacerdote  Melquisedeque.

"Então Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, trouxe pão e vinho."

Genesis 14:18 

A relação entre Melquisedeque e Jesus é patente pelo livro de Hebreus.  (Hb 7:3, Sl 110:4)


A Santa Ceia é tida como simbólica, mas a pergunta é simbolo de que ?

Qual verdade está encerrada no pão como carne e no vinho como sangue ?


O livro de Hebreus nos revela a resposta.


 "Ao levar muitos filhos à glória, convinha que Deus, por causa de quem e por meio de quem tudo existe, tornasse perfeito, mediante o sofrimento, o autor da salvação deles. 
Ora, tanto o que santifica quanto os que são santificados provêm de um só. Por isso Jesus não se envergonha de chamá-los irmãos. 
Ele diz: Proclamarei o teu nome a meus irmãos; na assembléia te louvarei”.
E também: “Nele porei a minha confiança” Novamente ele diz: “Aqui estou eu com os filhos que Deus me deu”.
Portanto, visto que os filhos são pessoas de carne e sangue, ele também participou dessa condição humana, para que, por sua morte, derrotasse aquele que tem o poder da morte, isto é, o Diabo, "

Hebreus 2:10-14


Ao compartilharmos da carne e do sangue de Cristo nos tornamos seus irmãos. É bem verdade que Jesus já revelou que aquele que faz a vontade do Pai que está no céu é Seu irmão, Sua irmã e Sua mãe. (Mt 12:50)

No entanto é o simbolismo da Santa Ceia que sela essa comunhão famíliar de mesma sorte que o Batismo sela a morte e a ressurreição em Cristo.(Rm 6:4)

Nossa carne e Nosso sangue se mescla a carne e o sangue de Jesus, consolidando Nossa irmandade.

A ordenança da Santa Ceia e a participação dos Cristãos é de suma importância.Foi estabelecida por Jesus e deve ser observada até sua volta.

"Porque eu recebi do SENHOR o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão;
E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim.
Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim.
Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha"

I Co 11:23-26

É digno de nota que aqueles que não se encontram dignos (isto é, estão em pecado), não devem participar do Corpo e do Sangue de Cristo, para não trazerem sobre sí condenação. (I Co 11:27)

Há  grupos de Cristãos (igrejas, movimentos cristãos, comunidades cristãs), que estabelecem períodos distintos para a cerimônia.
Uns realizam diariamente (ICAR), semanalmente (Mórmons) , outros mensalmente (Evangélicos) e outros ainda anualmente (TJs e CCB).

Se levarmos em conta que a Santa Ceia foi realizada durante a Páscoa Judaíca, é aceitavel a idéia que seja anualmente, não obstante sabe-se que os cristãos primitivos reuniam-se semanalmente para orar e partir o pão. (At 2:42 , AT 20:7)

Existem basicamente duas interpretações mísitcas para o pão (carne) e o vinho (sangue).


Transubstanciação. 


 É defendida pela Igreja Católica Apóstolica Romana, afirmam que o pão e vinho tornam-se de fato o corpo e o sangue de Cristo (literalmente).

Também é a crença da Igreja Ortodoxa, Anglicana e Nova Apostólica.


Consubstanciação.

Crença de maioria evangélica, entende-se que  o pão e o vinho assume propriedades do sangue e do corpo de Cristo, sem que necessáriamente haja uma transformação da matéria.

Lutero por sua vez tinha uma compreensão diferente, entendia que durante a consagração, a substância do corpo e sangue de Cristo se une a substância do pão e do vinho, essa permanencia estabelece-se  unicamente após a consagração e durante o uso do sacramento. Dá-se  o nome de União Sacramental.

Os calvinistas  creêm na presença real, ou seja, Jesus está presente durante a Santa Ceia, e não nos elementos (pão e vinho),os comungantes entram em comunhão espiritualmente pela presença do Senhor.

Ainda há os que entendem tratar-se tão somente de um memorial (sem valor místico), como é o caso da igreja Zuwingliana.

Como Eu já havia esplanado em minha postagem a cerca da  páscoa, a Santa Ceia é a verdadeira páscoa dos Cristãos e de forma alguma a páscoa cristã estabelecida pela Igreja Católica Apostólica Romana (ICAR), que foi fundamentada no paganismo.



Por fim, que possamos permanecer em união, nos reunindo seja semanalmente, seja mensalmente em memória de Nosso Salvador Jesus Cristo.



Shalom Aleichem .