Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6

Conclamação

Todos os textos aqui postados são de minha autoria, salvo aqueles em que estiverem as devidas referências bibliográficas e links.
Devemos ser originais em nossas colocações, mas não imaginários e sim embasados tão somente nas sagradas escrituras e respaldados pela lingüística, ciência, história e legislação humana.




Direitos do Blog

O blog Jesus Cristo Príncipe da Paz tem seus direitos respaldados nos incisos IV, VI e IX do artigo 5º da Constituição Federal, abaixo transcritos:



IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”

VI – “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos, salvo o dos que contrariem a ordem pública ou os bons costumes.”

IX – “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.



Respalda-se também Lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege o seguinte:

Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:– a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e obra.





Teologia da substituição




"O espírito triunfalista da Igreja em relação a ISRAEL tem sido o motivo de seu distanciamento em relação ao propósito divino. Pseudo-teólogos e orgulhosas denominações que se acham detentoras da fé e guardiãs da sã doutrina, não fazem a mínima ideia que são as promessas dadas a Israel (dentre elas, o próprio Cristo) que sustentam a sua fé. Quem rejeita a Israel está rejeitando sua própria salvação. (Jo 4:22).

Matheus Zandona (Congregação Ensinando de Sião)



"Se, porém, alguns dos ramos (Judeus) foram quebrados, e tu (não-judeu), sendo oliveira brava, foste enxertado em meio deles (Israel) e te tornaste participante da raiz e da seiva da oliveira, não te glories contra os ramos; porém, se te gloriares, sabe que não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz, a ti. Dirás, pois: Alguns ramos foram quebrados, para que eu fosse enxertado. Bem! Pela sua incredulidade, foram quebrados; tu, porém, mediante a fé, estás firme. Não te ensoberbeças, mas teme. Porque, se Deus não poupou os ramos naturais, também não te poupar". 

(Romanos 11:17-21)


A teologia da substituição defende a tese de que a rejeição de Jesus por parte dos judeus, anula a aliança e o propósito de Deus para com eles e elege a igreja em substituição.

Porém esta tese é totalmente equivocada.

Deus não rejeita os Judeus individualmente e nem como nação, ao contrário como lemos em Romanos, é esta "cegueira" momentânea que nos trás salvação, mas chegará o momento em que seus olhos (dos judeus) serão curados e reconheceram o senhorio de Jesus, isso como um todo, pois é sabido que muitos judeus já receberam o testemunho de Jesus. 

Só em Israel passa de 10.000 o número de Judeus crentes em Jesus. 


"Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado.
E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, E desviará de Jacó as impiedades."

(Romanos 11:25-26)

Dessa forma é correto pensar que nós somos enxertados em Israel e não Israel em nós, o que significa que não fazemos parte da Igreja como um elemento distinto de Israel, mas fazemos parte sim da Congregação do Eterno iniciada no deserto e consumada por Yeshua (Jesus). 

Os judeus são filhos de Abraão na carne, os gentios são filhos de Abraão pela fé. (em Yeshua)


"Sabei, pois, que os que são da fé são filhos de Abraão."

(Gálatas 3:7)


Os judeus devem ser circuncisos na carne e no coração, nós devemos ser circuncisos no coração. 



"Porque introduzistes estrangeiros, incircuncisos de coração e incircuncisos de carne, para estarem no meu santuário, para o profanarem em minha casa, quando ofereceis o meu pão, a gordura, e o sangue; e eles invalidaram a minha aliança, por causa de todas as vossas abominações."

 (Ezequiel 44 : 7)

"Homens de dura cerviz, e incircuncisos de coração e ouvido, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim vós sois como vossos pais." 

(Atos 7 : 51)


"Mas é judeu o que o é no interior, e circuncisão a que é do coração, no espírito, não na letra; cujo louvor não provém dos homens, mas de Deus." 

(Romanos 2 : 29)



"Visto que Deus é um só, que justifica pela fé a circuncisão, e por meio da fé a incircuncisão." 

(Romanos 3 : 30)


Deus trata de forma diferenciada com Israel e tem alianças eternas que hão de se cumprir, concernentes exclusivamente a eles (judeus), como por exemplo a herança da terra, onde será estabelecida o Reino de Deus. 

"E estabelecerei a minha aliança entre mim e ti e a tua descendência depois de ti em suas gerações, por E te darei a ti e à tua descendência depois de ti, a terra de tuas peregrinações, toda a terra de Canaã em perpétua possessão e ser-lhes-ei o seu Deus."

(Gênesis 17:7-8) 


No entanto a Salvação que provem de Jesus é estendida a todos (judeus e gentios) indistintamente. 



" Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura."

(Gálatas 6:15)



 "Que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo.
Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto.

 Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio,"

(Efésios 2:12-14)


Em suma, nós hoje fazemos parte da comunidade de Israel, da Congregação do Eterno, pois Jesus (Yeshua) desfez a parede que nos separava, porém nós não nos tornamos judeus com suas obrigações e peculiaridades e tão pouco eles se tornam cristãos (como alguns pretensiosamente creem), mas Deus nos chama cada qual com sua vocação. 




"E assim cada um ande como Deus lhe repartiu, cada um como o Senhor o chamou. É o que ordeno em todas as igrejas.
É alguém chamado, estando circuncidado? fique circuncidado. É alguém chamado estando incircuncidado? não se circuncide.
A circuncisão é nada e a incircuncisão nada é, mas, sim, a observância dos mandamentos de Deus."

I Co 7:17-19


Trindades históricas




Irmãos Cristãos, Trindade é crença pagã que remonta inicialmente ao período babilônico, arraigada no cristianismo e difundida como verdade no decurso dos séculos (por conta do Catolicismo Romano). Deus é Um e Yeshua (Jesus) é seu Filho Unigênito e não Deus.


"E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste."

(João 17:3)


"Todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele."

(I Corintios  8:6)


Possuo aqui no meu blog postagens que esmiúçam o assunto de forma exaustiva. Aqueles que quiserem conhecer mais a respeito podem (e devem lê-las). 




"E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará."

 (João 8 : 32)


Menino Jesus

A crença em um "menino Jesus" e sua mãe, é oriunda do paganismo histórico que vem dos babilônios e se estende até Roma. 

A cada império, a cada período, uma nova roupagem é atribuída as mesmas divindades. 





A imagem de Maria e Jesus na verdade é a reprodução de Hórus e Ísís (deus egípcios), que por sua vez são as reproduções dos deuses babilônicos Semíramis e Tamuz





Vênus e Cupido para os Gregos.  





Afrodite e Eros  para os Romanos (antes do cristianismo), por conta do cristianismo passaram a ser conhecidos como Maria e Jesus. 


Conclusão:

O paganismo é de tal forma arraigado ao cristianismo que se torna difícil saber o que é legítimo e o que é falso. É preciso estudar e "abrir a mente" para discernir ambos e viver a verdadeira Fé. 

Shalom. 


"Assim diz Adonai: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas; mas eles dizem: Não andaremos nele." 

Jeremias 6 : 16

A proibição da barba nas Assembleias de Deus





A proibição dos homens usarem barba dentro do contexto religioso cristão evangélico é bem comum e tem como princípio o coronelismo das Assembleias de Deus


EM ESPECIAL as ASSEMBLEIAS DE DE DEUS, com seus “usos e costumes” criam proibições absurdas sem fundamento bíblico, ao contrário, por vezes ferem a própria Escritura. 

Sabemos que a barba é uma característica dos homens nas narrativas bíblicas.


“É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a BARBA, a BARBA DE ARÃO, e que desce à orla das suas vestes." 

(Salmos 133 : 2)


E até mesmo um MANDAMENTO DA PARTE DE DEUS para toda a tribo de Israel, conforme vemos na Torá (Pentateuco). 

“Não cortareis o cabelo, arredondando os cantos da vossa cabeça, NEM DANIFICAREIS AS EXTREMIDADES DA TUA BARBA.”


 (Levítico 19 : 27)


* Danificar = cortar.

Pode até parecer um mandamento “estranho”, mas que com toda certeza tem sua importância. É preciso compreender que os MANDAMENTOS de Deus se classificam em RACIONAIS (aqueles que entendemos claramente o motivo) como, por exemplo: 

“Não matarás” e os SUPRA-RACIONAIS (aqueles que não conseguimos compreender o motivo), como por exemplo: “NÃO CORTARAS AS EXTREMIDADES DA TUA BARBA”.

Mas o fato de não entendermos não invalida o mandamento. 

Mas e quanto à “igreja”, por que da proibição?

Essa proibição, não tem relação com a questão religiosa, como aparenta, mas é fruto da política partidária. (Esquerda e direita).

Antes mesmo das igrejas evangélicas surgirem, quando havia apenas a Igreja Católica (e seus ramos) e as Protestantes, os “homens de Deus” usavam barba. Basta observar as gravuras da época, como de Calvino, e posteriores como Spurgeon

O conceito de “esquerda e direita” remonta ao século XVIII. (Revolução francesa) 
Consiste basicamente, em: 

Os de “direita” são os a favor do governo e os de “esquerda” os opositores ao governo.
Nessa época os homens de direita “deixavam sua barba crescer” e os de “esquerda raspavam a barba”, a barba era um símbolo que representava a posição política do indivíduo. 

Quando do advento das Assembleias de Deus, (início do Século XX), houve uma “inversão” nesse conceito, ou seja, aqueles que tinham barba já não eram mais os de direita e sim de esquerda. Então os líderes das “igrejas” que eram partidários da direita, obrigaram os membros a rasparem suas barbas. Logo isso foi incorporado aos “usos e costumes” das Assembleias de Deus e “perpetuado”. Hoje os homens por vezes desconhecem se quer o que significa ser de “direita” ou de “esquerda”, ou até mesmo são de “esquerda”, todavia em ambos os casos, sua barba é raspada conforme reza a cartilha dos usos e costumes, em nome da tradição das Assembleias de Deus!! (conservadorismo retrógrado e descabido).


É digno de nota que os padres católicos também costumam raspar sua barba, mas no caso deles a questão é diferente, eles os fazem desde 1054 d.C para diferenciarem-se da Igreja Ortodoxa da qual até hoje os sacerdotes ostentam suas longas barbas

* A igreja Ortodoxa é fruto de uma divisão (cisma) da Igreja Católica Apostólica Romana, ocorrida em 1054 d.C

Nota: No Brasil “a barba” foi um símbolo da ditadura, assim como do comunismo alemão por causa da figura “barbada” de Karl Marx. 

(Vi pessoas serem recusadas (eu mesmo fui um) por usarem barba, e soube de outros que foram proibidos de "pregar" até mesmo por ostentarem um mero bigode)

Vale lembrar que JESUS era JUDEU e por conseguinte BARBUDO ! 

Então como podem ver, não há motivo para essa proibição absurda na igreja, essa é mais uma das muitas proibições oriundas do já citado: coronelismo das Assembleias de Deus.

A escolha deve ser livre e não imposta. 

Shalom ! 

by Vanderlei L. Borkoski

O devorador



"Mas isto comereis de todo o inseto que voa, que anda sobre quatro pés: o que tiver pernas sobre os seus pés, para saltar com elas sobre a terra.
Deles comereis estes: a locusta segundo a sua espécie, O GAFANHOTO DEVORADOR segundo a sua espécie, o grilo segundo a sua espécie, e o gafanhoto segundo a sua espécie."
(Levíticos 11:21-22)

Esse tipo de doutrina de qualificar o Devorador como demônio é uma manobra para cativar os incautos e os indoutos. 


Dessa forma, Eles contribuem com a obra de D'us movidos pelo medo e não por um coração voluntário.

 Então quando contribuem se sentem VACINADOS pela oração PODEROSA do Pregador que repreende o Devorador, o Cortador e o Migrador. (Meros gafanhotos).

Shalom!

A aparência de Jesus



Esta imagem (loiro,olhos azuis,cabelos longos) tem 

influência nórdica (deuses Odin, Thor...) , além de ser a figura 

empregada ao deus romano Mitra. Posteriormente vinculada ao 

JUDEU Yeshua (Jesus)

Ademais o uso de cabelos longos era peculiar aos nazireus, dos 

quais Jesus não fazia parte, haja vista, ele tocar em mortos e beber,

 práticas estas, proibidas aos Nazireus. 

(Exemplos de nazireus: Sansão (por chamada divina) e João Batista 

(por voto) ) 

Em suma, Esse Jesus não é o Jesus da Bíblia. 

Presbíteros - Os verdadeiros Pastores.





Um erro crasso das Igrejas Evangélicas:

A liderança das igrejas evangélicas são organizadas basicamente em:

Pastores (líderes da congregação), Presbíteros (vice lideres), Diáconos (servidores), além de outros que agora não vem ao caso (como evangelistas, cooperadores).

Onde está o erro? 

No entendimento que se tem do PRESBÍTERO. Está palavra em questão significa em seu sentido original "ANCIÃO", este "ANCIÃO" é que liderava a Congregação (Igreja Local) no período apostólico (comumente chamado Igreja Primitiva). Salvo exceções (que confirmam a regra), como Timóteo.

"Aos PRESBÍTEROS, que estão entre vós, admoesto eu, QUE SOU TAMBÉM PRESBÍTERO com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar:" (I Pedro 5 : 1)

Pedro (Kefa) era um ancião (presbítero) e como bem sabemos (pastoreava as ovelhas de Yeshua (Jesus) (João 15:21-27)

Por essa razão os PRESBÍTEROS é que oravam pelos ENFERMOS.

"Está alguém entre vós doente? Chame os PRESBÍTEROS da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor;" (Tiago 5 : 14)

Mas o que vemos nas igrejas evangélicas são os tais "pastores" orando por todos e por vezes os "presbíteros" (que em geral não são anciãos "velhos") sentados.

Em suma, 

Isso significa que PASTOR não é um CARGO(eclesiástico), mas a função que deveria ser exercida pelo PRESBÍTERO, e não que o PRESBÍTERO é uma CARGO (eclesiástico) ABAIXO DO PASTOR. 
____________

No mesmo segmento outro erro é: Haver Pastores com encargos administrativos, como por exemplo: PASTORES TESOUREIROS. 

TODA ATIVIDADE ADMINISTRATIVA é de responsabilidade do DIÁCONO, e toda ATIVIDADE ESPIRITUAL do PASTOR.

" E OS DOZE , convocando a multidão dos discípulos, disseram: NÃO É RAZOÁVEL l QUE NÓS DEIXEMOS A PALAVRA DE DEUS E SIRVAMOS ÀS MESAS.

 Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio.
 MAS NÓS PERSEVERAREMOS NA ORAÇÃO E NO MINISTÉRIO DA PALAVRA" (Atos 6:2-4)

SERVIR A MESA  significa envolver-se com as questões ADMINISTRATIVAS, a incumbência dos Líderes (PASTORES/PRESBÍTEROS) é ESTRITAMENTE a ORAÇÃO e o MINISTÉRIO da PALAVRA.

Simples Assim.

Shalom !

Levitas - (São os cantores evangélicos de fato LEVITAS?)





Erro crasso das igrejas evangélicas: Chamar os cantores evangélicos de “levitas”.


Ao usar a nomenclatura “LEVITAS” para designar os cantores, denotasse total desconhecimento de quem realmente são os levitas, sua importância e suas atribuições.


Por certo cantar era um dos atributos dos LEVITAS, mas está longe de representar a totalidade de suas atribuições e por certo cantar é a menor delas.


Quem eram os LEVITAS (Na Tanah “Antigo Testamento”)


Os LEVITAS são uma das doze tribos de Israel, eles foram à tribo escolhida por Deus para administrar TABERNÁCULO, toda parte material.


Cuidavam da segurança, do transporte, dos utensílios, serviam como auxiliares aos SACERDOTES.


Mas tu põe os LEVITAS sobre o tabernáculo do testemunho, e sobre todos os seus utensílios, e sobre tudo o que pertence a ele; eles levarão o tabernáculo e todos os seus utensílios; e eles o administrarão, e acampar-se-ão ao redor do tabernáculo.” 

(Números 1 : 50)


E separarás os levitas do meio dos filhos de Israel, para que os levitas sejam meus.
E depois os levitas entrarão para fazerem o serviço da tenda da congregação; e tu os purificarás, e por oferta movida os oferecerás.”


(Números 8:14-15)


“ESTE É O OFÍCIO DOS LEVITAS: Da idade de vinte e cinco anos para cima entrarão, para fazerem o serviço no ministério da tenda da congregação;” 


(Números 8 : 24)


O ofício sacerdotal também pertencia aos LEVITAS, mas em especial a Arão (irmão de Moisés) e a seus filhos.


“E ordenaram ao povo, dizendo: Quando virdes a arca da aliança do SENHOR vosso Deus, e que OS SACERDOTES LEVITAS a levam, partireis vós também do vosso lugar, e seguireis.”

(Josué 3 : 3)


"E todo o Israel, com os seus anciãos, e os seus príncipes, e os seus juízes, estavam de um e de outro lado da arca, perante OS SACERDOTES LEVITAS, que levavam a arca da aliança do SENHOR, assim estrangeiros como naturais; metade deles em frente do monte Gerizim, e a outra metade em frente do monte Ebal, como Moisés, servo do SENHOR, ordenara, para abençoar primeiramente o povo de Israel."

(Josué 8 : 33)


A portaria do Tabernáculo e posteriormente do Templo também era incumbência dos LEVITAS

"Porque havia naquele ofício quatro porteiros principais que eram levitas, e tinham o encargo das câmaras e dos tesouros da casa de Deus."

(I Crônicas 9 : 26)

O canto e o louvor (o que não configura sinônimo) também era incumbência dos LEVITAS

"E estabeleceu Ezequias as turmas dos sacerdotes e levitas, segundo as suas turmas, a cada um segundo o seu ministério; aos sacerdotes e levitas para o holocausto e para as ofertas pacíficas, para ministrarem, LOUVAREM E CANTAREM, às portas dos arraiais do SENHOR."

(II Crônicas 31 : 2)


Até mesmo a forma de CANTAR é distinta do que se vê nas igrejas, eles (os levitas) cantavam às portas dos arraiais, uma canção TRISTE a entrada para contristar as almas que iam sacrificar a ADONAI e uma canção ALEGRE após o sacrifício para jubilo.


Ademais, se fosse para considerar os “cantores” como levitas, deveriam ser chamados também os “porteiros”, pois esse também era uns atributos dos LEVITAS, deveriam ser chamados os “pastores”, pois a função principal dos LEVITAS era o ofício SACERDOTAL, e os “pastores” são comumente chamados de sacerdotes (no paralelo que se traça).


Na Bri’t HaDashah (Novo Testamento) não há nenhum ensinamento, ordenança ou o que o valha que justifique o emprego da nomenclatura LEVITA para designar o cantor de congregação, logo, o termo não passa de uma alcunha (um apelido), descontextualizado e que para os desavisados (incautos e indoutos) acaba sendo “verdade”, “correto” quando não é.


NÃO EXISTEM LEVITAS NA IGREJA, LEVITAS SÓ NO TEMPLO EM JERUSALEM (SEM TEMPLO, SEM LEVITAS), 


Simples Assim.


Shalom ! 


By Vanderlei L. Borkoski