Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6

Conclamação

Todos os textos aqui postados são de minha autoria, salvo aqueles em que estiverem as devidas referências bibliográficas e links.
Devemos ser originais em nossas colocações, mas não imaginários e sim embasados tão somente nas sagradas escrituras e respaldados pela lingüística, ciência, história e legislação humana.




Direitos do Blog

O blog Jesus Cristo Príncipe da Paz tem seus direitos respaldados nos incisos IV, VI e IX do artigo 5º da Constituição Federal, abaixo transcritos:



IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”

VI – “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos, salvo o dos que contrariem a ordem pública ou os bons costumes.”

IX – “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.



Respalda-se também Lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege o seguinte:

Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:– a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e obra.





O Plano de Deus - Judeus e Gentios




Quão freqüentemente vejo pessoas ensinarem que somos a Nova Israel.

O conceito de Novo exclui o que é Antigo, mas na verdade nos fomos enxertados na videira e não ao contrário.(Rm 11:23-24)

E quem somos? Eis o que somos: A igreja. (Rm 11)

A Igreja como um todo (Judeus e Gentios) pode ser chamada de Israel de Deus, o que difere da Israel na carne (nação). (Rm 9:6-8)


Tudo começou há muito, muito tempo atrás.

Quando Deus criou o homem, atribui-lhe volição (livre-arbítrio), o Senhor criou também o bem o mal, e deu a homem o direito de errar.
É bem verdade que Adão e Eva, jamais deveriam ter comido do fruto da árvore da ciência do bem e do mal. (Gn 2:17, Gn 3:3)
Se não o tivessem feito, teríamos um mundo de homens e mulheres incorruptíveis, pois o Senhor mandou  que procriassem e enchem-se a terra, antes da fatídica queda.(Gn 1:28) É,mas infelizmente,mesmo não discernindo o bem do mal Eva, escolheu desobedecer, e aqui estamos nós.

Nessa época Iavé era Deus de todos, de Adão, Eva, seus filhos e filhas. E esses foram muitos e assim a terra foi povoada, a Bíblia da destaque a três: Caim, Abel e Sete.
Caim matou Abel (Gn 4:8) e de Sete, Iavé suscitou a linhagem de Noé, Abraão, Davi até Jesus.(Lc 3:23-38)

Saltemos então até Noé.

Na época desse patriarca o mundo estava muito corrompido, os filhos de Deus já haviam entrado as filhas dos homens e gigantes viviam na terra. (Gn 6:4) - (Tenho uma postagem onde esmiúço esse assunto).


http://jesuscristoprincipedapaz.blogspot.com/2010/10/genesis-64-quem-ja-nao-se-viu-em-meio.html


O Senhor achou por bem então dar cabo de Sua criação, e recomeçar. Mas  o justo é resgatado em meio a aflição, e assim o Senhor poupou a Noé e seus familiares.(Gn 6:7-8)

Desse recomeço, surgiram as novas civilizações. De Cão, Sem e Jafé, os filhos de Noé.(Gn 9:1, Gn 10:1)

Mas infelizmente, nem tudo foram flores, Cão, teve quatro filhos, Mizraim, Pute, Canaã e Cuxe.(Gn 10:6)

Digno de nota aqui é Cuxe, esse foi pai de Ninrode (Gn 10:8), o patrono da Torre de Babel, e da Babilônia, por assim dizer o criador da idolatria pagã.

Em breve abordarei esse assunto sobre a idolatria  e seu surgimento com mais propriedade.
Essa idolatria, afastou essa nova civilização de Iavé.Deus foi esquecido, e novos deuses tomaram o seu lugar.
Iavé então em meio aos idólatras encontrou a Abraão (até então Abrão), chamou-lhe e o tirou da terra de Ur dos Caldeus.(Gn 12:1-2)

Agora uma nova dispensação se iniciava. A promessa era estabelecida.

Disse Iavé a Abraão que dele faria uma grande nação e por ele seriam benditas todas as nações.(Gn 12:2) Esse era o primeiro indício, a primeira revelação sobre a fulgurante vinda do Filho de Deus a terra, para resgatar o que havia se perdido.

E a palavra do Senhor se cumpriu em Abraão, Isaque e Jacó (Israel), eis que surgem as 12 tribos de Israel. (Gn 49:28)
Esses que deveriam ser o espelho, que refletia a expressa imagem do Deus vivo as outras nações.Suas testemunhas. (Is 43:10)

Entre os muitos acontecimentos que marcaram o início desse novo povo, temos a venda de José por parte de seus irmão (Gn 37:28) , que culminou na vitória de José, que foi aclamado governador do Egito(Gn 41:41), onde entrou como escravo, e por conseguinte tornou-se salvador de sua família. que se não fosse por ele sucumbiria a fome.

Passados os anos, a pequena tribo cresceu e tornou-se poderosa dentro do Egito, José não mais vivia, e eis que se tornaram cativos dos egípcios.
Novamente vemos a mão de Deus, em auxilio ao povo que gerou.

Dá tribo de Levi, o Senhor Iavé, levanta um salvador, seu nome: Moisés. (Ex 3:10)

Libertou o povo do cativeiro e os conduziu pelo deserto rumo a Terra prometida - Canaã.
Também através desse homem o grande Iavé, estabelece a Lei, um conjunto de 613 estatutos, que passaram a reger Israel.(Ex 20:21, Dt 4:8)

Isso como imagem das coisas futuras. Como aio que conduz a Graça Salvifíca do Cristo. (Gl 3:24)
Os israelitas manipularam os mandamentos de Deus, e os anulou em função de Suas tradições.

O Senhor elegeu profetas, juízes a fim de consertar e conduzir o povo, para que se cumprisse o seu propósito.


Israel porém tinhas outros planos, ao invés de serem espelho, preferiram se espelhar nas nações pagãs.
Preferiram um Rei humano, ao Rei dos Reis. (I Sm 10:19)
Resultado: Desviaram-se de Deus, sofreram toda sorte de agruras.Tornaram-se opróbrio.Cativos de outros povos.

Mais uma vez o Senhor vem ao socorro de Israel e de um humilde pastor de ovelhas chamado Davi, descendente da tribo de Judá, faz um Rei, um grande Rei.(I Sm 16:13)
Esse conduz o povo de forma a agradar a Deus, mas era humano e sujeito a falhas, e errou muito, mas foi acolhido por Deus, pois sábia reconhecer seus erros e aceitava com bom grado a correção de seu Deus e Senhor Iavé.
Após o Reino de Davi, reina então seu filho Salomão (cujo nome significa Paz), o mais sábio, o mais rico , segundo o favor concedido por Iavé.(I Rs 2:12)

Infelizmente na velhice desviou-se do Deus vivo, e cedeu a idolatria, por causa disso Iavé rasgou o reino em dois,  a saber: Israel e Judá. (Reino do Norte e Reino do Sul respectivamente). (I Rs 11:11)

Dá tribo de Judá, Iavé suscitaria o Salvador, o Cristo.(Jo 4:22)

A idolatria se tornou a maior chaga na Nação de Israel e em Judá, como prêmio pela sua iniqüidade, novos cativeiros, foi a vez dos Assírios e dos Babilônios tripudiarem em cima da menina dos olhos de Deus (evidentemente debaixo de sua permissão).


Mais alguns anos, e o Senhor faz com que as tribos sejam libertas, mas nem por isso endireitaram suas veredas.
Israel tornara-se uma há  muito tempo um povo mestiço (samaritanos), e os judeus entraram no mais profundo ostracismo, chamo sem medo de errar de exclusivistas.

Saltando novamente no tempo, estamos agora no meridiano dos tempos. Nasce em Belém de Judá o homem que dividiria a história em duas, Antes e Depois de Cristo. O Filho de Deus, o Verbo, vem trazer a prometida e tão esperada Salvação a todos os homens.(Jo 1:1, Jo 1:14)

O caminho já havia sido preparado pelo profeta João Batista (Jo 1:23), vem então o Filho de Deus pregando o Reino de Seu Pai aos seus compatriotas (para que se cumprisse as profecias), e como já sabia o Senhor Iavé, fora Ele rejeitado.

De Sua rejeição, resultou a perseguição e por conseguinte Sua morte (a qual se permitiu, pois ninguém jamais poderia fazê-lo se não fosse essa sua vontade).Três dias depois ergue-se dos mortos, e pleno em poder e autoridade, estabelece a Nova Aliança da qual somos os herdeiros.(Tito 2:14, I Pe 2:9, Hb 12:24)

Nasce a Igreja de Jesus Cristo. (Mt 16:18) - As portas do inferno (sepultura) não prevaleceram contra o Cristo, eis que Ele ressuscitou (promessa da fundação)


(At 2) (consolidação da fundação, através da efusão do Espírito Santo)


Agora é a hora de fazer distinção entre Israel e a Igreja.


Conforme minha explanação, Deus (Iavé), partiu de um todo (raça humana), para um pequeno grupo (Israelitas) a fim de resgatar o todo (raça humana) através do bom testemunho desse povo (Israel), mas esses por sua vez falharam e tornaram-se parte daquilo que foram chamados a converter (as demais nações), por mais religiosos, exclusivistas e tradicionais que fossem ou julgassem ser, há muito que se perderam.


Surge então o Cristo, com sua Igreja, que podemos definir do seguinte modo:


Não se trata de todos os homens (pois esses a há muito tempo elegeram outros deuses e desconheceram o Deus vivo) ;

Não se trata de um povo exclusivo, uma nação eleita, que tem por objetivo converter as outras nações ;

Trata-se sim, de um povo eleito entre todos os povos, formado por tribos, línguas e nações (Ap 7:9)


Povo esse que junto celebra com seu Salvador um casamento, cujo  Noivo é o Salvador, e a Noiva todos os salvos (a Igreja). ( Ap 19:7, Ap 21:9, Ap 22:17)


Essa distinção é importante, pois a Igreja abarca até mesmo os judeus, que outrora eram um povo escolhido, hoje em Cristo são um com os demais povos (gentios).


Jesus o Cristo, derrubou a barreira que separava as nações.(Ef 2:14)


Mas a pergunta que surge é: E se os judeus tivessem feito a perte deles? Tivessem sido as Testemunhas de Iavé (esses eram de fato as Testemunhas de Jeová).


Não haveria problema algum para nós os gentios, seriamos alcançados e salvos da mesma forma. Juntamente com eles aguardaríamos o Cristo e seriamos abençoados.


Outra dúvida que surge é: Somos um efeito colateral?  Haja vista não terem aceitado, por conseguinte fomos salvos?

Respondendo a essa pergunta faço outra pergunta:


A quem o evangelho foi primeiramente pregado?



Muitos diriam, aos Judeus, mas aí é que está a chave do mistério.

Antes mesmo de haver os judeus, de haver a Lei, o evangelho já havia sido pregado.

 
"Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Todas as nações serão benditas em ti."


Gálatas 3:8


Sempre, sempre foi a vontade de Nosso Deus resgatar todos os homens, basta uma olhadinha em Hebreus 11  e veremos que Iavé sempre nos salvou pela fé.

"De sorte que os que são da fé são benditos com o crente Abraão."

Gálatas 3:9


A graça salvífica mediante a fé sempre esteve presente, 430 anos de ser estabelecida a Lei, o Senhor já salvara a Abraão pela fé.

 "Mas digo isto: Que tendo sido a aliança anteriormente confirmada por Deus em Cristo, a lei, que veio quatrocentos e trinta anos depois, não a invalida, de forma a abolir a promessa."

Gálatas 3:17

Que fique claro então que um foi o plano que Deus traçou com Israel (nação),  outro o plano que Deus traçou com as nações gentílicas e que ambos repousam na promessa feita ao  Patriarca Abraão.

E um dia viveremos todas na Nova Jerusalém, a Jerusalém Celestial. (Hb 12:22 , Ap 3:12 , Ap 21:2)


A partir disso podemos conceituar a Igreja como a Israel de Deus.




Shalom Aleichem !



Notas:  Tenho uma postagem que trato sobre o bem e o mal, creio que seja de alguma valia para compreender porque Deus sendo Todo-Poderoso, permitiu que tudo isso acontecesse.

http://jesuscristoprincipedapaz.blogspot.com/2010/04/deus-criou-o-mal.html