Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6

Conclamação

Todos os textos aqui postados são de minha autoria, salvo aqueles em que estiverem as devidas referências bibliográficas e links.
Devemos ser originais em nossas colocações, mas não imaginários e sim embasados tão somente nas sagradas escrituras e respaldados pela lingüística, ciência, história e legislação humana.




Direitos do Blog

O blog Jesus Cristo Príncipe da Paz tem seus direitos respaldados nos incisos IV, VI e IX do artigo 5º da Constituição Federal, abaixo transcritos:



IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”

VI – “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos, salvo o dos que contrariem a ordem pública ou os bons costumes.”

IX – “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.



Respalda-se também Lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege o seguinte:

Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:– a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e obra.





O destino dos apóstolos de Cristo



"Acautelai-vos, porém, dos homens; porque eles vos entregarão aos sinédrios, e vos açoitarão nas suas sinagogas;
E sereis até conduzidos à presença dos governadores, e dos reis, por causa de mim, para lhes servir de testemunho a eles, e aos gentios.  (...)

E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim será salvo. (...)
Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada;"


Mateus 10:17-18 ; 22 ; 34
 


As palavras do Senhor Yeshua (Jesus) não são vazias. Quando ele disse que seus discípulos haveriam de ser perseguidos por seu nome, disse em sentido estrito.
Assim aconteceu (tem acontecido e há de tornar a acontecer no tempo do fim).

Após ler o livro dos mártires de John Fox, achei por bem registrar aqui o martírio dos apóstolos segundo a narrativa do livro e convidar aos irmãos em Cristo que leiam  e conheçam as histórias de fé e sangue daqueles que tem o verdadeiro testemunho de Yeshua.

Estevão

Estevão foi o primeiro a padecer. Sua morte foi ocasionada pela fidelidade com que pregou o Evangelho aos delatores e assassinos de Cristo. A fúria desses homens elevou-se a tal ponto que arrastaram Estevão para fora da cidade e o apedrejaram até a morte Conforme se supõe, o martírio de Estevão deu-se entre a Páscoa seguinte da crucificação de nosso Senhor e o primeiro aniversário de sua ascensão, na primavera.
Segui-se então grande perseguição contra todos os que professavam crer em Cristo como Messias, ou profeta. Lucas relata que "fez-se naquele dia uma grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos foram dispersos pelas terras da Judéia e Samaria, exceto os apóstolos".
Cerca  de dois mil cristãos, inclusive Nicanor, um dos sete diáconos, foi martirizado durante a "tribulação que sobreveio no tempo de Estevão".

Tiago, o maior

O próximo mártir mencionado por Lucas, em Atos dos Apóstolos, é Tiago, filho de Zebedeu, irmão mais velho de João e parente de Nosso Senhor. (Sua mãe, Salomé, era prima de Maria.) Este segundo martírio aconteceu antes de completar dez anos da morte de Estevão. Tão logo foi designado governador da Judéia, Herodes Agripa, com o propósito de reconciliar-se com os judeus, suscitou intensa perseguição aos cristãos. No intuito de dar um golpe eficaz, lançou-se contra os seus dirigentes.
Não podemos deixar de mencionar o relato de um eminente escritor primitivo, Clemente de Alexandria. Conta-nos ele que, quando Tiago era conduzido ao lugar de seu martírio, seu acusador foi levado ao arrependimento e, caindo-lhe aos pés, pediu perdão e confessou-se cristão, decidindo ainda que o apóstolo não receberia sozinho a coroa do martírio. Juntos, foram decapitados. Assim, Tiago, o primeiro mártir apostólico, recebeu, decidido e bem disposto, aquele cálice que, afirmara ele ao nosso Salvador, estava pronto a beber. Timão e Pármenas sofreram o martírio na mesma época; o primeiro em Filipos, e o segundo em Macedônia. Estes acontecimentos ocorreram em 44 d.C. 


Filipe

Nasceu em Betsaída, Galiléia. Trabalhou diligentemente na Ásia Superior e sofreu o martírio em Heliópolis , na Frígia. Foi açoitado, lançado no cárcere, e depois crucificado em 54 d.C.

Mateus

Era cobrador de impostos, nascido em Nazaré, Galiléia. Escreveu seu evangelho em hebraíco, que depois foi traduzido para o grego por Tiago, o Menor. Os cenários de seu labor foram Pártia e Etiópia. Este último foi também cenário de seu martírio; foi assassinado com uma alabarda, na cidade de Nadaba no ano 60 d.C. 

Tiago, o Menor

Alguns supõe que se tratava de um irmão de nosso Senhor, filho de José e de uma mulher que ele teve antes de Maria. Isto é muito duvidoso e concorda em demasia com a superstição católica de que Maria jamais teve  outros filhos além de Jesus.Escolhido para supervisionar as igrejas de Jerusalém, foi o autor da Epístola que lhe leva o nome. Aos 99 anos, foi espancado e apedrejado pelos judeus que, finalmente, abriram-lhe o crânio com um garrote. 

Matias 

Dele, sabe-se menos que da maioria dos discípulos. Foi escolhido para preencher a lacuna deixada por Judas. sofreu apedrejamento em jerusalém e em seguida foi decapitado.

André

Irmão de Pedro, pregou o Evangelho a muitas nações da Ásia. Ao chegar, porém, a Edesa, foi preso e crucificado. As extremidades de sua cruz foram fixadas transversalmente no solo.Daí a origem do nome Cruz de Santo André.

Marcos

Filho de judeus, da tribo de Levi. Supõe-se que foi convertido ao cristianismo por Pedro, a quem serviu como amanuense, e sob sua supervisão, escreveu seu evangelho em grego. Marcos foi arrastado e despedaçado pela população de Alexandria, na grande solenidade do ídolo Serapis, tendo terminado sua vida terrena em mãos implacáveis.

Pedro

Dentre muitos outros santos, o bem aventurado apóstolo Pedro foi condenado à morte e crucificado em Roma, segundo escreveram alguns. Outros contudo, não sem boas razões duvidam disso. Hegespino conta que o povo, ao perceber que Nero procurava razões contra Pedro para matá-lo, rogou insistentemente ao apóstolo que fugisse da cidade. Persuadido pela insistência deles, Pedro dispô-se a fugir. Ao chegar, porém, a porta, viu o Senhor Jesus Cristo que lhe vinha ao encontro. Adorando-o, Pedro indagou: "Senhor, para onde vais?" Ao que ele respondeu: "Vou para ser de novo crucificado". Pedro, ao dar-se conta de que era de seu sofrimento que o Senhor falava, voltou à cidade. Jerônimo afirma que foi crucificado de cabeça para baixo, por petição própria, por julgar-se indigno de ser crucificado da mesma maneira que o seu Senhor. 

Paulo

Outro que por seu enorme e indescritível trabalho na promoção do Evangelho de Cristo, sofreu nessa primeira perseguição de Nero, foi o apóstolo Paulo. Conta Abdias que, quando se deliberou a respeito de sua execução, o imperador enviou dois de seus cavaleiros, Ferega e Partemio, para dar-lhe a notícia de que seria morto. Ao chegarem ao apóstolo, que instruía o povo, pediram-lhe que orasse por eles para que cressem. Paulo garantiu-lhes que creriam em breve e seriam batizados diante do seu túmulo. Logo vieram os soldados e o levaram ao lugar das execuções onde, depois de haver orado, ofereceu o pescoço à espada. 

Judas

Escritor de uma das epístolas universais, era comumente chamado Tadeu. Foi crucificado em Edesa, em 72 d.C.

Bartolomeu

Pregou em vários países e, ao traduzir o evangelho de Mateus para um dos idiomas da Índia, propagou-o neste país. Por último, foi cruelmente açoitado e crucificado pelos conturbados idolatras.

Tomé

Chamado Dídimo, pregou o evangelho em Partia e na Índia, onde ao provocar a ira dos sacerdotes pagãos, morreu com uma lança.

Lucas

Foi o autor do evangelho que leva o seu nome. Viajou com Paulo a vários países e supõe-se que tenha sido pendurado em uma oliveira pelos idólatras sacerdotes da Grécia.

Simão

De sobrenome Zelote, pregou o evangelho na Mauritânia, Africa e até na Grã-Bretanha, onde foi crucificado em 74 d.C. 


João

O "discípulo-amado" era irmão de Tiago o Maior. As igrejas de Esmirna, Pérgamo, Sardes, Filadélfia, Laodiceia  e Tiatira foram fundadas por ele. Enviado de Éfeso a Roma, conta-se que foi jogado num caldeirão de óleo fervente, de onde escapou milagrosamente, sem dano algum.Domiciano exilou-o na ilha de Patmos, onde escreveu o livro de Apocalipse. Nerva, o sucessor de Domiciano, libertou-o. Dentre todos os apóstolos, foi o único a ter morte natural,

Barnabé

Este era de Chipre, porem de descendência judaica. Supõe-se que a sua morte tenha ocorrido por volta do ano 73 d.C,
A despeito das contínuas perseguições e dos severos castigos, a Igreja crescia sem parar. Estava profundamente arraigada na doutrina dos apóstolos e era abundantemente regada com o sangue dos mártires.



Fonte: O livro dos Mártires de John Fox - Editora CPAD - Edição 2004

Nota: grifo meu.















Os animais também ressuscitarão? Vida eterna para eles?





Quem já não teve um bichinho querido que já morreu,  por certo todos gostaríamos de revê-los. Por essa razão algumas pessoas defendem um estranha doutrina que assevera que os animais também hão de herdar a vida eterna. Para tanto tomam o livro de Eclesiastes para defender essa tese.


Contudo, há distinção entre o homem e os animais. A Bíblia enfatiza essa diferença.


Vamos às Escrituras: 


Primeiro aspecto, o homem é um ser tricotômico (corpo, alma e espírito)


“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo.”


I Tessalonicenses 5 : 23 


“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. Hb 4:12


Os animais por sua vez são seres dicotômicos (corpo e alma).




“Havendo, pois, o SENHOR Deus formado da terra todo o animal do campo, e toda a ave dos céus, os trouxe a Adão, para este ver como lhes chamaria; e tudo o que Adão chamou a toda a alma vivente, isso foi o seu nome. “


Gn 2:19


Conf.  Gn 1:20-21, 24 e 25




Os homens semelhantemente aos animais foram criados com elementos da terra, mas a distinção se deu no sopro (fôlego de vida / espírito / pneuma), somente o homem foi criado a imagem e semelhança de D'us.


“E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.”


Gn 1:27


Por essa razão com a entrada do pecado se fez necessário um Salvador para humanidade, para restabelecer a ligação que anteriormente tínhamos com D'us.


O livro de Eclesiastes nos revela que somos iguais aos animais e não levamos vantagem alguma em relação a eles, mas isso deve ser devidamente compreendido.


Aqui Salomão fala de vida e morte, e nos esclarece que tanto o sábio como o tolo, o bom ou mal, os homens e os animais, igualmente morrem e vão para o mesmo lugar, a saber: ao pó. Mas isso não encerra a questão da vida eterna, observe que todas as profecias que tratam da ressurreição sempre se referem ao homem.


Porque o que sucede aos filhos dos homens, isso mesmo também sucede aos animais, e lhes sucede a mesma coisa; como morre um, assim morre o outro; e todos têm o mesmo fôlego, e a vantagem dos homens sobre os animais não é nenhuma, porque todos são vaidade.
Todos vão para um lugar; todos foram feitos do pó, e todos voltarão ao pó.
Quem sabe que o fôlego do homem vai para cima, e que o fôlego dos animais vai para baixo da terra?



Ec 3:19-21


No capítulo 3, Salomão fez esse questionamento quanto ao fôlego (pneuma) dos animais e dos homens. Quem pode dizer que um sobe e outro desce. Não obstante no capítulo 12 desse mesmo livro, Salomão responde a essa pergunta.


Ele afirma que o corpo (pó) volta ao pó, mas o fôlego (pneuma / espírito) volta a D'us, ou seja, sobe.


"E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu" Ec 12:7


Fica claro que o pneuma no caso do homem faz parte de sua composição (tricotômico) e nos animais é simples fôlego de vida (dicotômico).




O Apóstolo Paulo também nos orienta acerca desse assunto.


“Nem toda a carne é uma mesma carne, mas uma é a carne dos homens, e outra a carne dos animais, e outra a dos peixes e outra a das aves.”


I Co 15:39


“Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante.
Mas não é primeiro o espiritual, senão o natural; depois o espiritual.
O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o SENHOR, é do céu.
Qual o terreno, tais são também os terrestres; e, qual o celestial, tais também os celestiais.
E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial.”
 



I Co 15:45-49


No Reino Milenar de Cristo haverá animais, mas serão animais, que já existam quando da volta de Cristo e não seres ressurretos.


“E morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará, e o bezerro, e o filho de leão e o animal cevado andarão juntos, e um menino pequeno os guiará.”


Isaias 11:6


“O lobo e o cordeiro se apascentarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; e pó será a comida da serpente. Não farão mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o SENHOR.


Isaias 65:25


Salvo isso, simbolicamente vemos os quatro seres vivos (Ap 4:6 ) que na verdade são anjos (esse texto faz uma ponte com Ez 1:5-21), vemos os quatro cavaleiros e seus respectivos cavalos (Ap 6), que não significa que sejam animais ressurretos.


Fica uma pergunta para os que defendem que os animais também serão ressuscitados:


Qual será o lugar dos peixes nesse Novo Mundo, tendo em conta que não haverá mais os mares?




"E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe." Apocalipse 21 : 1


Nota: 


Há de se cuidar em não cair em uma crença panteísta, ao rebaixar o homem a condição dos animais ou elevar os animais a condição humana.


Esse tipo de doutrina abre precedentes para as mais diversas crenças pagãs, a exemplo a transposição da alma (reencarnação humana em animais e ou minerais)





Baruch HaShem Adonai !