Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6

Conclamação

Todos os textos aqui postados são de minha autoria, salvo aqueles em que estiverem as devidas referências bibliográficas e links.
Devemos ser originais em nossas colocações, mas não imaginários e sim embasados tão somente nas sagradas escrituras e respaldados pela lingüística, ciência, história e legislação humana.




Direitos do Blog

O blog Jesus Cristo Príncipe da Paz tem seus direitos respaldados nos incisos IV, VI e IX do artigo 5º da Constituição Federal, abaixo transcritos:



IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”

VI – “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos, salvo o dos que contrariem a ordem pública ou os bons costumes.”

IX – “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.



Respalda-se também Lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege o seguinte:

Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:– a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e obra.





Idolatria e a serpente de metal

  
"Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.
Não te encurvarás a elas nem as servirás; ...."

Êxodo 20:4-5

Sem muito esforço se pesquisarmos na internet encontraremos sempre aqueles que defendem que o culto a imagens não é idolatria,mas sim uma forma representativa de homenagear grandes vultos do cristianismo.
Como toda asseveração de cunho cristão deve ter por base ao menos uma porção das Escrituras, os idolatras lançam mão da serpente de metal no deserto, dos querubins do propiciatório, além dos animais e querubins que faziam parte da ornamentação do templo de Salomão.(I Rs 7:29)

Alega-se também que a expressa proibição de D'us no livro de Êxodos trata-se tão somente dos deuses estrangeiros, que eram adorados naquele tempo e que "tomavam" o lugar de D'us.

Eu diria que essa seria uma explicação bem razoável, se não fosse o fato de as imagens dos Santos, de Maria e de Cristo serem alvos de devoção. Muito diferente do que ocorria com a serpente de metal.

Ao longo da história templos foram erigidos para acolher os ídolos (imagens) dos mais variados deuses pagãos, formando assim panteões.

Em nada diferente do que vemos hoje, basta tomarmos como exemplo a cidade de Aparecida do Norte, consagrada a Maria Aparecida, a rainha do céu de nossa época (Jr 7:18), aonde milhares de devotos dirigem-se diariamente, a fim de lhe prestar culto (missas) e veneração, através de velas, rezas e suplicas.
Sem contar com as réplicas espalhadas pelo Brasil, em lares e igrejas, onde recebem a mais completa devoção, onde são tocadas, beijadas, e adornadas.

Carregadas em procissão, mesmo sendo essa prática condenada pelo Eterno.

“Congregai-vos, e vinde; chegai-vos juntos, os que escapastes das nações; nada sabem os que conduzem em procissão as suas imagens de escultura, feitas de madeira, e rogam a um deus que não pode salvar. “

Isaías 45 : 20


A Serpente de Metal

É no mínimo absurdo querer usar a serpente de metal como precedente para a veneração de imagens.
A serpente não foi feita por vontade do povo ou de Arão como ocorrera com o bezerro de ouro, não foi também da vontade de Moisés, mas o próprio Deus ordenou que fosse feita.

"E disse o SENHOR a Moisés: Faze-te uma serpente ardente, e põe-na sobre uma haste; e será que viverá todo o que, tendo sido picado, olhar para ela.
E Moisés fez uma serpente de metal, e pô-la sobre uma haste; e sucedia que, picando alguma serpente a alguém, quando esse olhava para a serpente de metal, vivia. “ 

Números 21 : 9

Não para ser adorada, mas sim para servir de símbolo ao povo
, que dá mesma forma que foi levantada a serpente de ouro e aqueles que foram vitimados pelas picadas das serpentes elevavam seus olhos em direção a serpente eram curados, de igual modo aqueles que elevam seus olhos ao Filho de Deus encontram salvação.

“E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado;”  

João 3 : 14

Tanto é, que quando a serpente passou a ser adorada (venerada com incensos), foi destruída.

“Ele tirou os altos, quebrou as estátuas, deitou abaixo os bosques, e fez em pedaços a serpente de metal que Moisés fizera; porquanto até àquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso, e lhe chamaram Neustã.”  

II Reis 18 : 4


 Os querubins do propiciatório

A palavra chave é simbolismo.

Os querubins da propiciatório simbolizam os querubins entre os quais o Eterno Deus habita.

“Ó SENHOR dos Exércitos, Deus de Israel, que habitas entre os querubins; tu mesmo, só tu és Deus de todos os reinos da terra; tu fizeste os céus e a terra”.

Isaías 37 : 16


Eu desafio alguém me mostrar na Bíblia qualquer tipo de veneração ser prestada aos querubins simbolizados no propiciatório ou em qualquer figura do Templo de Salomão. 

Não vai mostrar, pelo simples fato de não haver. Simples assim.

É digno de nota que a adoração a anjos (culto), já era um problema no tempo do Apóstolo Paulo.

Não muito diferente hoje, onde temos São  Miguel Arcanjo, São Rafael, São Gabriel, Santos anjos.
Não obstante a adoração a anjos é vetada aos homens, como vemos no livro de Apocalipse.

“E eu, João, sou aquele que vi e ouvi estas coisas. E, havendo-as ouvido e visto, prostrei-me aos pés do anjo que mas mostrava para o adorar.
E disse-me: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus.”

Apocalipse 22:8-9


A exemplos de outras representações (simbolismos) podemos citar o Menorah (castiçal) que representa as sete emanações do Espírito de D'us que repousou sobre Jesus (Is 11:1-2, Ap 5:6), As portas do Templo:  pátio,  lugar Santo e  Santo dos Santos (santíssimo) , cujos os nomes são: Caminho, Verdade e Vida, que prefiguram a Jesus (João 14:6)

O autor da epístola aos Hebreus no revela que todos os elementos do templo eram sombras e exemplos das coisas futuras e do Reino Celestial, dizer diferente disso é uma covardia e uma heresia da qual será devidamente cobrada.

Os quais servem de exemplo e sombra das coisas celestiais, como Moisés divinamente foi avisado, estando já para acabar o tabernáculo; porque foi dito: Olha, faze tudo conforme o modelo que no monte se te mostrou.”

Hebreus 8:5

Em suma, o Senhor condena toda idolatria e não adianta buscar subterfúgios nas Escrituras para justificar tais praticas.

Nas palavras do Apostolo Paulo...

“Portanto, meus amados, fugi da idolatria. “ 


I Coríntios 10 : 14





                                            Barukh atah Adonai eloheinu, melekh ha'olam

Oração pelos mortos. Devemos ou não orar ?


   
Não existe (que Eu conheça) nenhuma proibição direta a oração pelos mortos, contudo também não há nenhuma passagem que incentive a prática. Nesse caso vamos examinar o porquê de orar ou não.
Os católicos oram pelos mortos com a intenção de levar algum lenitivo a alma do falecido. A base para isso encontra-se no livro Apócrifo de II Macabeus (12:41-46). Essa é a base doutrinária para o dogma do purgatório e, por conseguinte das indulgencias.

“Bendisseram, pois, a mão do justo juiz, o Senhor, que faz aparecer as coisas ocultas,
e puseram-se em oração, para implorar-lhe o perdão completo do pecado cometido. O nobre Judas falou à multidão, exortando-a a evitar qualquer transgressão, ao ver diante dos olhos o mal que havia sucedido aos que foram mortos por causa dos pecados.
Em seguida, fez uma coleta, enviando a Jerusalém cerca de dez mil dracmas, para que se oferecesse um sacrifício pelos pecados: belo e santo modo de agir, decorrente de sua crença na ressurreição,porque, se ele não julgasse que os mortos ressuscitariam, teria sido vão e supérfluo rezar por eles.
Mas, se ele acreditava que uma bela recompensa aguarda os que morrem piedosamente,
era esse um bom e religioso pensamento; eis por que ele pediu um sacrifício expiatório para que os mortos fossem livres de suas faltas.

II Macabeus 12:41-46

Então podemos afirmar que quem ora pelos mortos, ora por suas almas, visando alento e perdão dos pecados.
Eis o ponto, não é possível fazer mais nada por aqueles que já partiram. As Escrituras são bem claras ao asseverar que depois da morte segue-se o juízo.

“E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,”

Hb 9:27

Veja a parábola do rico e Lázaro  (Lc 16:19-31), lá temos a comprovação dessa verdade, lá está o rico em um lugar de tormentos e Lázaro em gozo no paraíso (Seio de Abraão).
Ademais vemos na pregação do Reino que o tempo para salvação é hoje (em vida).

“Porque diz: Ouvi-te em tempo aceitável E socorri-te no dia da salvação; Eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação”

II Coríntios 6 : 2

Ref. A Isaias 49: 8

"Portanto, como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje a sua voz,"

Hb 3:7

Outro ponto:

Ainda que seja lícito orar, será que os mortos estão cônsules do que ocorre aqui ? (no mundo dos vivos).

“Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, mas a sua memória fica entregue ao esquecimento”

 Eclesiastes 9 : 5




Podemos lembrar dos  mortos? DEVEMOS.

Deus lembrava dos mortos, O Senhor diz:


 “Ora, Deus não é Deus de mortos, mas de vivos; porque para ele vivem todos. “   Lucas 20 : 38

“Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó? Ora, Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos. Mateus 22 : 32


Os judeus comemoram seus mortos.

É costume judaico comemorar anualmente seus mortos (Yahrzeit ) , algo como o dia de finados.
O mais próximo de uma oração pelos mortos é o Kadish (hino de louvor a Deus), por muitos considerado como uma oração pelos mortos, mas na verdade é um hino de exaltação da vida sobre a morte. Lembre-se Deus é Deus de vivos e não de mortos.

A morte física não é o fim de tudo.


E qual o nosso lenitivo, qual a nossa esperança?

É a ressurreição dos mortos.

Não sei qual a situação  dos seus mortos, mas se morreram em Cristo tranqüilize-se, pois haverá de vê-los novamente e por certo eles estão bem agora. (Lc 16:19:30 , Lc 23:43)

Irmãos fiquem com o presente versículo como acalanto para suas almas.

Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança.
Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele."  I Ts 4:13-14


Em suma, lembre-se do seus mortos como quando estavam vivo, as coisas que fizeram e disseram,mantenham-nos vivos em sua memória,naquilo que deixaram. Nunca se esqueçam  deles.


                            Baruch Dayan Emet  (Bendito seja o verdadeiro juiz)

Igreja Católica Apostólica Romana ou Igreja Católica Apóstolica de Cristo ?

 


Igreja Católica Apostólica Romana, sem dúvida a mais antiga igreja cristã, a mais próxima do período apostólico, mas não há motivo para se ufanar. Esta igreja ao contrário do que conclama, não foi fundamentada nos apóstolos, mas sim do sangue dos mesmos.
Originária de Roma, cujo império dizimou dezenas de milhares de cristãos, até que um de seus imperadores (Constantino) veio a "converter-se" ao cristianismo, "cessando", as perseguições e tornando a fé em Cristo a religião oficial do império. Essa é a história que querem que aceitemos, mas o axioma é outro. A conversão de Constantino foi fundamentalmente política, reconheço que os cristãos respiraram um pouco melhor com menos espadas pressionando suas jugulares, mas a que preço.

Com a oficialização do cristianismo pelo império, houve uma mescla de paganismo ao até então saudável cristianismo apostólico, bastaram algumas centenas de anos para fundamentar a tradição católica que em muito suplanta a doutrina apostólica de Cristo.

E é justamente sobre isso que vou tratar na presente postagem uma vez que já foi exaustivamente discutido em postagens anteriores, a origem pagã das principais crenças cristãs (também adotadas pelos protestantes), tais como Natal, Páscoa, Marianismo, Trindade, etc.

A proposta hoje é esclarecer a origem da Igreja de Cristo em comparação com o que conclama a igreja Católica Apostólica Romana.

1º. Pedro, o primeiro Papa.


Essa é uma "verdade" que só satisfaz aos Católicos. Baseia-se na autoridade delegada por Cristo a Pedro, que segundo a teologia católica é a pedra sobre a qual Cristo fundamentou sua Igreja. Para tanto usa-se a seguinte Escritura:

"Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;" - Mateus 16:18

Mas será realmente a pedra a qual Cristo se referia? Não, de fato não. Cristo referia-se a si mesmo.

Veja o porquê:

Jesus disse primeiro Pedro (Petros no grego, que significa "pedra pequena"), a seguir Jesus diz: "sobre esta pedra (Petra no grego, que significa "grande rocha maciça", "rochedo"), fica claro então que Cristo empregou uma figura de linguagem, chamada trocadilho.
Para dirimir qualquer dúvida veja o que o próprio Pedro assevera acerca de Jesus:

"E, chegando-vos para ele, pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa," I Pedro 2:4

"E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, A pedra que os edificadores reprovaram, Essa foi a principal da esquina,"  I Pedro 2 : 7

Pedro segundo o que nos relata o livro dos mártires de John Fox, foi martirizado por volta de  67d.C pelo Imperador Nero, enquanto a igreja Católica Apostólica Romana foi fundada em torno do ano 320 d.C

2º. A igreja Católica sempre existiu.

Os apologistas   católicos vociferam que a Igreja Católica é revelada na Bíblia e que sem sombra de dúvida sua origem remonta ao período apostólico.
Examinemos então a base de defesa de fé.

Recorre-se ao seguinte versículo:

"À universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados;" - Hebreus 12 : 23

Tendo em conta que Católico significa universal, logo universal assembléia é o mesmo que igreja católica. A isso chamo (sem medo de errar), falsa dicotomia.

Igreja Católica Apostólica Romana , Igreja (chamados para fora), Católica (Universal Hb 12:23), Apostólica (fundamentada nos apóstolos), até aqui tudo muito bom, Romana (eis aqui o erro).

A salvação procede dos Judeus (Cristo era judeu) (João 4:22)  ;
A promessa da Igreja não foi feita em Roma, mas sim em território palestino ; (Mateus 16:13-18)
Os apóstolos deveriam permanecer em Jerusalém até que fossem revestidos com poder, para ai então proclamar o evangelho ao mundo ; (Lucas 24:49)


Os apologistas católicos utilizam-se de documentos anteriores ao período de Constantino para justificar que a igreja Católica já existia e que é a mesma por nós conhecida.
Contudo, com base nas explanações aqui expostas fica fácil contemplar que  as asseverações patrísticas  NÃO tratam da igreja de Roma, mas sim da igreja apostólica (primitiva).

“Deve-se, entretanto, reconhecer uma só Igreja, disseminada por toda a terra. João também, no Apocalipse, embora escreva só para as sete Igrejas, fala para todas. As cartas a Filemon, Tito e as duas a Timóteo, se bem que tenham sido redigidas por amor (a essas pessoas), não o foram menos para a honra da igreja católica e para organização da disciplina eclesiástica. Há em circulação também uma epístola aos Laodicenses e uma aos Alexandrinos, escritas sob o nome de Paulo em favor da heresia de Marcião, e certo número de outras, que não podem ser aceitas na igreja católica , porque não convém misturar o fel e o mel”.

(Cânon de Muratori escrito por volta de 150 dC).

“Considerai legítima a eucaristia  realizada pelo bispo ou por alguém que foi encarregado por ele. Onde aparece o bispo, aí esteja a multidão, do mesmo modo que onde está Jesus Cristo, aí está a igreja católica”

(Inácio de Antioquia, bispo cristão martirizado por volta de 107 d.C. por sua fidelidade a Cristo – Carta aos Esmirniotas cap. 8).

Cânon de Muratori (150 d. C) ;
Inácio de Antioquia (discipulo  direto do Apóstolo João (107 d.C)

Ambos, cerca de 180 a 200 anos antes da fundação da igreja de Roma (ICAR)


A verdadeira Igreja Católica (universal / invisível) é aquela revelada por Jesus Cristo à mulher samaritana.
Adoradores em TODOS os lugares.

"Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem."  João 4:23

É a Igreja composta pelos salvos, de todas as tribos,línguas e nações e que adoram a Deus em espírito e em verdade.


"Depois destas coisas olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos; "  Apocalipse 7 : 9

Quando Deus fundamentou sua Igreja na terra na terra, não instituiu uma organização eclesiástica denominacional.Mas sim, estabeleceu um corpo místico,cuja cabeça é Cristo.

 "Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação;" Ef 4:4

"Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo."  Efésios 5 : 23

Por fim a maior ironia histórica é o fato de Roma ter martirizado os apóstolos e discípulos de Cristo por tantos anos (a favor do paganismo) e logo após a conversão de Constantino e o estabelecimento da igreja romana, a perseguição persistir,mas agora contra os que se opunham as doutrinas que imergiam (superstições e tradições humanas), com a alcunha de hereges eram queimados, esfolados e trucidados pela bandeira do paraíso.

Graças e louvor ao Deus vivo e honra a memória dos mártires da Igreja de Deus.

In memorian

Valdenses , John Huss,Juan Calas, Juan Wickliffe e os demais.


"E, havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos por amor da palavra de Deus e por amor do testemunho que deram." Ap 6:9



Shalom HaShem Adonai