Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6

Conclamação

Todos os textos aqui postados são de minha autoria, salvo aqueles em que estiverem as devidas referências bibliográficas e links.
Devemos ser originais em nossas colocações, mas não imaginários e sim embasados tão somente nas sagradas escrituras e respaldados pela lingüística, ciência, história e legislação humana.




Direitos do Blog

O blog Jesus Cristo Príncipe da Paz tem seus direitos respaldados nos incisos IV, VI e IX do artigo 5º da Constituição Federal, abaixo transcritos:



IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”

VI – “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos, salvo o dos que contrariem a ordem pública ou os bons costumes.”

IX – “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.



Respalda-se também Lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege o seguinte:

Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:– a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e obra.





Versões e traduções da Bíblia - em resumo.





Eis um pequeno apanhado sobre a base textual que compõe a Bíblia, Códices gregos e hebraicos.

Versões e traduções da Bíblia

Septuaginta (LXX) – Versão em grego Koiné da Tanah (AT)  (Entre o 3º e o 1º Séc. a.C)  - Em Alexandria  (Egito) - A pedido do Rei Ptolomeu  II.  (Contem o Canon judaico + deuterocanonicos)

Vulgata Latina – Tradução para o Latim do AT (vertida diretamente do hebraico) e do NT (Fim do Século IV e início do V) - Tradutor Jerônimo a pedido do Bispo de Dâmaso I.

Peshitta – Versão Aramaica - Siríaca da Bíblia (AT – Séc. II  e.C/ NT – Séc. III  e.C) 150 d.C

·         Bíblia de Lutero (Tradução para o Alemão – 1522 e.C)
·         Bíblia de Tyndale –(Tradução da Bíblia para o Inglês ) 1525 e.C
·         Bíblia Oliveton (Tradução  para o Frances – 1535 e.C)
·         Bíblia de Genebra (Tradução Suíça para o Inglês – 1560 e.C)
·         Bíblia Diodati (Tradução para o Italiano – 1607 e.C)
·         Bíblia King James (Tradução Inglaterra para o Inglês – A pedido do Rei Henrique VIII –  1611 e.C)
·         Bíblia Almeida (Tradução para o Português– 1681-1753 e.C)
·         Bíblia NVI – 1991 (Base NT – Nestle Aland Greek / Base AT Bíblia Hebraica Texto Massorético, Manuscritos do Mar Morto, Pentateuco Samaritano, Peshitta, entre outros).

Base textual (Códices gregos)

Codex Vaticanus – Séc. IV - guardado na biblioteca do Vaticano desde 1475 e revelado ao mundo apenas em 1889 - (Contem o VT em grego (com omissões) e o NT incompleto)

Codex Sinaiticus – Séc. IV - descoberto em 1859 no mosteiro de Santa Catarina – Sinai (Egito) -(Contem a maior parte do AT e o NT inteiro)

Codex AlexandrinusSéc. V - Pertence à primeira metade do Séc. V (Contem a cópia completa da LXX, incluindo os livros deuterocanônicos de III e IV Macabeus, Salmo 151 e o 14 Odes. A Epístola a Marcellinus, atribuída a Atanásio, bem como o sumário dos Salmos, atribuído a Eusébio, foram acrescentados antes do Livro de Salmos. Este codex também contém todos os livros do Novo Testamento, incluindo acréscimos de I e II Clemente.

* Estes são os três mais conhecidos manuscritos da Septuaginta.


Texto massorético   é o texto hebraico da Bíblia utilizado com a versão universal da Tanah para o judaísmo moderno, e também como fonte de tradução para o AT da Bíblia cristã. É chamado massorético por ter recebido sinais para correta vocalização, e isto ter sido feito pelos massoretas (escribas) no inicio da Idade Media.

Códices Hebraicos

Códice de Leningrado - 1008 e.C – É o maior manuscrito do AT (hebraico), o mais completo. Este manuscrito serve como base para as mais modernas traduções da Bíblia.

Códice de Aleppo – 930 e.C – Deve ser a principal autoridade em Bíblia hebraica a ser publicada em Jerusalém, tendo sido corrigida e vocalizada por Aaron bem Asher, em 1930.



Códice Reuchlin – 1105 d.C – Contém um texto revisto que atesta a fidelidade do Códice de Leningrado.

* Codex (Codice) – É o substituto do pergaminho.

Manuscritos do Mar Morto (150 a.C a 70 d.C) - descobertos em 1947 nas cavernas de Quram, no Mar Morto, reconhecidos com autênticos em 1954 - (Contem porções de toda a Tanah foram encontradas, exceto do Livro de Ester e do Livro de Neemias. Os manuscritos incluem também Livros apócrifos e livros de regras da própria seita (Essênios))

A partir de tudo acima exposto chegamos aos códices Textus Receptus e Textus Criticus, dos quais vem as traduções das Bíblias em seus respectivos idiomas.

Textus Receptus (Texto Bizantino ou majoritário) – Compilação dos textos (gregos) NT contidos nos manuscritos Bizantinos (Antioquia). Base para Bíblia de Lutero, Bíblia Almeida, entre outros. Produzido por Erasmo de Roterdã a partir de 05 manuscritos, conhecidos até então. 1516 e.C

Textus Criticus - é o texto do NT, conforme os procedimentos da crítica textual. Também é conhecido como Texto Minoritário por ser mais fortemente baseado na minoria dos manuscritos do NT atualmente existentes, porém sendo alguns deles consideravelmente antigos, até do segundo século depois de Cristo.

* Textus Criticus – Equivalencia formal e dinâmica / Textus Receptus – Equivalência Formal



 Nisto se resume a base para toda sorte de traduções bíblicas hoje conhecidas.


by  Vanderlei L. Borkoski