Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6

Conclamação

Todos os textos aqui postados são de minha autoria, salvo aqueles em que estiverem as devidas referências bibliográficas e links.
Devemos ser originais em nossas colocações, mas não imaginários e sim embasados tão somente nas sagradas escrituras e respaldados pela lingüística, ciência, história e legislação humana.




Direitos do Blog

O blog Jesus Cristo Príncipe da Paz tem seus direitos respaldados nos incisos IV, VI e IX do artigo 5º da Constituição Federal, abaixo transcritos:



IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”

VI – “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos, salvo o dos que contrariem a ordem pública ou os bons costumes.”

IX – “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.



Respalda-se também Lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege o seguinte:

Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:– a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e obra.





A Epístola de palha - Fé e obras ou uma ou outra ?


Lutero o patrono do protestantismo tinha em mente que Nós (Igreja) deveríamos nos guiar apenas pelos ditames do Novo Testamento, e nesse ponto não posso discordar, o Antigo Testamento é por certo de grande importância, pois nos revela a Deus, Sua vontade, Seus mandamentos, a história do surgimento, crescimento e fatídica queda que nos permitiu sermos enxertados, mas ainda assim é a Antiga Aliança e com Cristo tudo se fez novo.(II Co 3:6, II Co 5:17 , Hb 8:13, Hb 12:24)

Até aqui tudo bem, mas a questão é outra. Lutero que reconhecia a inspiração divina do Novo Testamento era anátema da Epístola de Tiago, chegando ao extremo de taxá-la "epístola de palha".

Mas porque isso? Seria possível que todo o Novo Testamento fosse inspirado salvo essa epístola ?

Vamos tentar entender o que houve.

Lutero defendia que a Salvação era somente por fé (não necessita obras), mas a epístola de Tiago aparentemente revela o oposto.

"Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé."

Tiago 2:24


Asseverou Lutero:

"Se eu tivesse que ficar sem uma ou outra -- ou as obras ou a pregação de Cristo -- eu antes ficaria sem suas obras do que sem sua pregação. Pois as obras não me ajudam, mas suas palavras dão vida, como ele mesmo diz. Ora, João escreve muito pouco sobre as obras de Cristo, mas muito sobre sua pregação.
Os outros evangelistas escrevem muito de suas obras e pouco de sua pregação. Portanto, o evangelho de João é aquele terno, verdadeiro, de longe o principal evangelho a ser preferido aos outros três e colocado acima deles. Assim, também, as epístolas de São Paulo e São Pedro, ultrapassam de longe os outros três Evangelhos, Mateus, Marcos e Lucas.
Numa palavra, o evangelho de São João e sua primeira epístola, as epístolas de São Paulo, especialmente Romanos, Gálatas e Efésios, e a primeira epístola de São Pedro são os livros que nos mostram Cristo e que nos ensinam tudo o que é necessário e bom para conhecermos, ainda que nunca se veja nem ouça qualquer outro livro ou doutrina. Portanto, a epístola de São Tiago é realmente uma epístola de palha, comparada com as outras, pois não tem nada da natureza do evangelho nela."


Luther, Works of Martin Luther - The Philadelphia Edition, trans. C. M. Jacobs, vol 6. Preface to the New Testament (Grand Rapids: Baker Book House, 1982), páginas 439-444. Consoante citação em  Bercot, David W., Will The Real Heretics Please Stand Up, (Scroll Publishing, 1989), página 112.

A discordância de Lutero contemplava também os Evangelhos como pode ser observado pela citação acima. Qualquer coisa que fosse contrária a "doutrina de Lutero" era tratada a revelia.

Vamos complicar um pouco mais, antes de esclarecer.

O apóstolo Paulo aparentemente ensinou o oposto do que Tiago. Observe:

 "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
Não vem das obras, para que ninguém se glorie;"

Efésios 2:8-9

"Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada."

Gálatas 2: 16

E ainda: Rm 5:1, Gl 3:24, Tito 3:7, Rm 11:6



Podemos inferir que Lutero seguia o magistério de Paulo, quanto à justificação. O ponto é será que realmente há uma contradição entre Paulo e Tiago? Isso justifica "descartarmos" a epístola de Tiago e dar razão a  Lutero?

Na epístola aos Efésios, logo após afirmar que não somos justificados por obras, mas sim por fé Paulo também nos diz que somos feitos para andar na obras que Deus dantes preparou.

"Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas."

Ef  2:10

Isso significa que fomos criados para realizar boas obras, contudo temos que ser primeiro justificados por Cristo, sermos feitura de Deus criados em Cristo. Após isso as boas obras que realizaremos serão um caminho previamente preparado por Deus.

Tiago assevera: 

"Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras."

Tiago 2 : 18

Veja que Tiago não repudia a fé, mas nega que se possa haver fé (verdadeira) sem que haja obras, ou seja, as obras como sinal de fé.

E ele tem toda razão, pois como revelou Paulo, quando estamos em Cristo, andaremos nas obras que Deus preparou para que andássemos. Obras são intrínsecas a Salvação.

Pedro também admoesta os cristãos as boas obras.

'Tendo o vosso viver honesto entre os gentios; para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem."

I Pedro 2 : 12

Pedro deixa claro que um viver honesto, denota em bom  testemunho que põe por terra toda injúria que possa ser lançada sobre um cristão. Essa é uma boa obra.

Quando Paulo falou contrário a obras, ele tinha um escopo em vista, fazia menção às obras da lei.

"Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado."

Romanos 3 : 20

"Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei."

Romanos 3 : 28

"Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada."

Gálatas 2 : 16

Perceba que Paulo não fala contra obras (boas ações), mas sim contra obras da lei  (ordenanças – “Cl 2:14” ), de mesma sorte que Tiago não pregava obras da lei para justificação, mas sim boas ações. 

 Para Tiago a preocupação era com as classes desfavorecidas (párias da sociedade)

 "A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo."

Tiago 1 : 27

Para encerrar a compreensão tomemos o exemplo de Abraão citado tanto por Paulo como por Tiago.

"Pela fé ofereceu Abraão a Isaque, quando foi provado; sim, aquele que recebera as promessas ofereceu o seu unigênito."

Hb 11:17 

"Assim como Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça."

Gl 3:6

"Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia."

Hebreus 11 : 8

Paulo diz que Abraão pela fé agiu, ou seja, Ele demonstrou sua fé pela sua ação (Pela fé ofereceu Isaque, pela fé saiu sem saber para onde ia).

"Porventura o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque? 
Bem vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada.
E cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abraão em Deus, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de Deus.
Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé"
Tiago 2 : 21 -24

Tiago diz que a fé cooperou com as obras, ou seja, foi por ter fé que realizou as obras, por sua vez as obras aprimoraram a fé, pois é a demonstração efetiva de que há fé, ou seja, andar nas obras que Deus previamente preparou para que andássemos. (Ef 2:10)

Se alguém realmente tem fé, isso fica patente pelas obras que realiza, não pode haver uma fé egoísta onde creio para ser salvo, mas cruzo os meus braços e deixo a vida me levar.

A Nossa Salvação se dá apenas através do Cristo, mas as obras tem sua importância (I Co 15:58), e pelas nossas obras que seremos galardoados (lembrando que os galardões competem somente aos salvos, por isso não implica em perdição)

"A obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um.
Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão.
Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo."

 I Co 3:13-15

Lutero, jamais poderia preterir os Evangelhos e a epístola de Tiago só porque aparentemente eram contrárias a sua interpretação. Faltou a Ele mais empenho em interpretar as Escrituras, pode até soar como pretensão minha afirmar isso de Lutero, mas falo sem medo de errar.

Pra encerrar meditemos nas palavras de Jesus...


"Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;
Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me.

E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes."
Mateus 25:34-36 e 40