Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6

Conclamação

Todos os textos aqui postados são de minha autoria, salvo aqueles em que estiverem as devidas referências bibliográficas e links.
Devemos ser originais em nossas colocações, mas não imaginários e sim embasados tão somente nas sagradas escrituras e respaldados pela lingüística, ciência, história e legislação humana.




Direitos do Blog

O blog Jesus Cristo Príncipe da Paz tem seus direitos respaldados nos incisos IV, VI e IX do artigo 5º da Constituição Federal, abaixo transcritos:



IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”

VI – “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos, salvo o dos que contrariem a ordem pública ou os bons costumes.”

IX – “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.



Respalda-se também Lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege o seguinte:

Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:– a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e obra.





Ressurreição ou Reencarnação? O que a Bíblia ensina.

Será a promessa de Cristo, uma volta a existência humana de forma cíclica para que assim atinjamos um grau de perfeição e santidade dignas para habitarmos com Deus?

Para saber de fato isso precisamos discernir entre reencarnação e ressurreição a luz da Bíblia.

Reencarnação

Segundo um site espírita a definição seria esta:

"Reencarnar significa voltar à carne novamente, tornar a nascer.

Reencarnação equivale a renascimento, Usa-se outro termo também: palingenesia (ou palingênese) que etimologicamente provém do grego: palin = de novo, e gignomai = gerar, isto é: novo nascimento."

http://www.comunidadeespirita.com.br

Na prática seria o seguinte:

O ser humano, vive sua existência, ao término dela vai para o mundo espiritual e depois de um período que nem sempre é o mesmo (varia entre cada espírito) retorna a vida em uma nova existência, onde tem a oportunidade de resgatar as falhas cometidas na vida anterior.

Em geral os espíritos reencarnam na mesma família, onde ora um espírito pode ser o pai e na outra vida o filho, etc.

O conceito espírita vai muito, além disso, mas o princípio é esse.

A salvação depende das obras realizadas nas inúmeras vidas, segundo o fundador da religião espírita Alan Kardec.

A religião espírita defende que os ensinos de Jesus sobre "nascer de novo" foram com esse prisma.

Ressurreição

do lat. ressurrectione - significa ato ou efeito de ressurgir, ressuscitar; regresso da morte à vida; ato de reaparecer depois de haver morrido.

A Ressurreição segundo o cristianismo católico e protestante é quando o indivíduo morre e volta a viver no mesmo corpo, sendo a mesma pessoa.

A Bíblia tem alguns exemplos disso.

"FOI, pois, Jesus seis dias antes da páscoa a Betânia, onde estava Lázaro, o que falecera, e a quem ressuscitara dentre os mortos.
Fizeram-lhe, pois, ali uma ceia, e Marta servia, e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele."
Jo 12:1-2

Veja a clareza do texto, Lázaro fora ressuscitado e Lázaro era um que servia a mesa tempos depois da ressurreição.

Outro exemplo:

"Houve mulheres que, pela ressurreição, tiveram de volta os seus mortos. Uns foram torturados e recusaram ser libertados, para poderem alcançar uma ressurreição superior; " Hb 11:35

Mulheres tiveram seus mortos de volta, então analiticamente está claro que voltaram a vida com a mesma existência anterior, assumindo suas posições de esposos.

Mas esses que ressuscitaram voltaram a morrer, essa ressurreição foi temporária, a Bíblia relata outro tipo de ressurreição nos mesmos parâmetros, mas com o diferencial de ser eterna.

A Bíblia esclarece que ela será comum a todos, bons ou maus.

"E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno." Daniel 12:2

Em suma, ressurreição é renascer, mas no mesmo corpo sendo a mesma pessoa, não em um corpo novo e uma nova existência como acredita-se com relação a reencarnação.

"Assim também a ressurreição dentre os mortos. Semeia-se o corpo em corrupção; ressuscitará em incorrupção." I Co 15:42

A passagem abaixo é empregada tanto pelos defensores da reencarnação como da ressurreição.

Jesus conversando com um dos principais dos fariseus disse:

"Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” João 3: 3

E o que seria esse novo nascimento? Pela ótica católica / protestante significa o seguinte:

Nicodemos achou que pudesse voltar ao ventre de sua mãe, e indagou como isso seria possível, mas Jesus esclareceu que não se tratava desse tipo de nascimento, mas de outro.

"Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?

Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus." João 3 : 4-5

Aqui está, água e espírito. O que significa isso?

Água - refere-se ao Batismo e Palavra da verdade ; (I Jo 5:8 , Jo 17:17)

"Sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos." Colossenses 2 : 12

Nos morremos com Cristo no batismo (somos encobertos pelas águas) e ressurgimos (nascemos de novo) voltamos a vida com Cristo, porém transformados em Nova Criatura.

"Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo." II Coríntios 5 : 17

Espírito -refere-se ao Espírito Santo ;

"Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa." Efésios 1 : 13

Quando aceitamos a Jesus como Nosso Senhor e Salvador, devemos ser batizados e quando isso ocorre passamos a ser selados com o Espírito Santo de Deus.

É bem verdade que se poderia entender esse novo nascimento pela ótica da reencarnação.

Então vamos ver outras passagens que ilucidam bem o assunto.

Jesus reencarnou?

"De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo." Hb 9:26

Voltou no mesmo corpo, agora glorificado, sendo o mesmo Jesus e não em uma nova identidade.

"Vejam as minhas mãos e os meus pés. Sou eu mesmo! Toquem-me e vejam; um espírito não tem carne nem ossos, como vocês estão vendo que eu tenho". Lucas 24: 39

O que acontece ao homem depois que morre?

"E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo" Hb 9:27

"Assim como a nuvem se desfaz e passa, assim aquele que desce à sepultura nunca tornará a subir. Nunca mais tornará à sua casa, nem o seu lugar jamais o conhecerá." Jó 7:9-10

Os patriarcas reencarnaram ou aguardam a ressurreição?

"mas os que forem considerados dignos de tomar parte na era que há de vir e na ressurreição dos mortos não se casarão nem serão dados em casamento,
e não podem mais morrer, pois são como os anjos. São filhos de Deus, visto que são filhos da ressurreição.
E que os mortos ressuscitam, já Moisés mostrou, no relato da sarça, quando ao Senhor ele chama ‘Deus de
Abraão, Deus de Isaque e Deus de Jacó’.
Ele não é Deus de mortos, mas de vivos, pois para ele todos vivem”. Lc 20:35-38

Aqui nesta passagem não só é esclarecido que os patriarcas permanecem vivos depois da morte, mas aguardam a ressurreição, como nos mostra também que depois da ressurreição prometida por Jesus Cristo, nunca mais haveremos de morrer pois seremos como os anjos.

Uma das crenças defendidas pelo espiritismo , é que pelo processo reencarnatório atingiremos o status de anjo ao longo de muitos séculos.

E Jesus nos diz que depois que morremos, e ressuscitados atingimos esse status, através de um único sacrifício Seu e de morrermos e ressuscitarmos uma única vez .

Então para encerrar, a ressurreição é a promessa de Deus de vida eterna no corpo da qual Jesus é o primogênito (primeiro no gênero) (Cl 1:18) , e há também há a ressurreição temporal, que foi realizada por Jesus e seus discípulos (At 9:37-41) além dos profetas, a exemplo de Eliseu (I Rs 8:5), além de alguns relatos contemporâneos (casos poucos e especiais).

Já a reencarnação não se encontra nas Sagradas Escrituras, não uma passagem sequer de um homem que tenha voltado a vida com outra identidade.
O único caso em que se apóiam os defensores da reencarnação é em Elias e João Batista.
Mas que é facilmente explicável.

"E eles responderam: João o Batista; e outros: Elias; mas outros: Um dos profetas."

Marcos 8 : 28

Mas João Batista não poderia ser o Elias por duas razões:


1º. Elias apareceu a Jesus Cristo no monte da transfiguração.

"Enquanto orava, a aparência de seu rosto se transformou, e suas roupas ficaram alvas e resplandecentes como o brilho de um relâmpago.
Surgiram dois homens que começaram a conversar com Jesus. Eram Moisés e Elias.

Apareceram em glorioso esplendor, e falavam sobre a partida de Jesus, que estava para se cumprir em Jerusalém." Lc 9:29-31

Elias viveu 850 anos (aproximadamente) antes de Jesus.

Tempo suficiente para uma reencarnação.

E uma segunda razão é o fato que segundo a doutrina espírita nós assumimos a aparência e a personalidade de nossa última existência.

Partindo dessa premissa quem deveria ter apararecido no monte da transfiguração era João Batista e não Elias, uma vez que João Batista seria a encarnação mais recente.

Encerro com as palavras de Paulo:

"Mas alguém dirá: Como ressuscitarão os mortos? E com que corpo virão?
Insensato! o que tu semeias não é vivificado, se primeiro não morrer.
E, quando semeias, não semeias o corpo que há de nascer, mas o simples grão, como de trigo, ou de outra qualquer semente.
Mas Deus dá-lhe o corpo como quer, e a cada semente o seu próprio corpo."
I Co 15: 35-38




Profecias de dupla referência. O que são.

Esse assunto é muito interessante e valioso, por isso vamos conhecer mais sobre tais profecias.

As passagens bíblicas em azul.
Textos com referências em vinho.

Na interpretação profética, diversos elementos são analisados e são divididos e organizados em leis, a dupla referência é uma delas.


Leis para interpretação de profecias


ESTUDOS EM HERMENÊUTICA BÍBLICA
Ou, Leis Básicas de Interpretação da Bíblia
Pr. Davis W. Huckabee


Muitas vezes ocorre que determinada passagem das Escrituras pode ter uma referência dupla, uma imediata e local, e a outra profética e bem distante. Quando tal é o caso, há grande confusão se não reconhecemos isso e não levamos em consideração o aspecto profético da dupla referência...”

A Lei da Dupla Referência é simplesmente o reconhecimento de que o cumprimento de determinada passagem das Escrituras pode não ter esgotado seu significado, mas que pode haver um cumprimento maior e posterior da passagem.

Essa Lei se encontra principalmente nas partes proféticas da Palavra, pois a profecia é muitas vezes apresentada figurativamente em alguns eventos locais. Tal caso é aquele que se acha nas predições de nosso Senhor sobre a destruição de Jerusalém, que veio a ocorrer no ano 70 d.C., que prefigura a invasão final da Terra Santa por exércitos do Anticristo, e a Grande Tribulação que então sobrevirá.... No caso da destruição de Jerusalém em 70 d.C., a profecia se cumpriu literalmente, e incontáveis milhares de judeus foram mortos do modo mais cruel e bárbaro que dá para imaginar. Mas esse cumprimento não esgotou a profecia, pois o Livro de Apocalipse, que foi escrito depois desse evento, ainda aguarda uma matança terrível de judeus e gentios, que reduzirá a população deste planeta à quase metade.”

Muitos pensadores liberais e modernistas se equivocam porque, por negligência, não levam em consideração essa Lei da Dupla Referência na interpretação da Bíblia. Pois muito mais que freqüentemente eles procuram um cumprimento imediato e local de certas profecias, e quando essas não se cumpriram literalmente no tempo designado por esses indivíduos que se julgam especialistas na arte de interpretar, eles as explicam como falhas por parte de Deus.”

Essa Lei da Dupla Referência, no que se refere a indivíduos, encontra numerosos exemplos nos livros proféticos. Principalmente em Daniel, vemos o Anticristo definitivo várias vezes retratado sob as figuras imediatas e locais do rei da Babilônia, do rei da Grécia, do rei da Síria, etc. "

Algumas pessoas costumam confundir profecias e apocalipse, como se apocalipse fossem apenas revelações futuras (escatológicas) e não aplicaveis a alguns profetas como Isaías por exemplo.
Mas essa é uma interpretação errônea.

Observe o texto abaixo:

“A palavra apocalipse, do grego αποκάλυψις (termo primeiramente usado por F. Lücke) (1832) significa, em grego, "Revelação". Um "apocalipse", na terminologia do judaísmo e do cristianismo, é a revelação divina de coisas que até então permaneciam secretas a um profeta escolhido por Deus. Por extensão, passou-se a designar de "apocalipse" aos relatos escritos dessas revelações.
Devido ao fato de, na maioria das bíblias em língua portuguesa se usar o título Apocalipse e não Revelação, até o significado da palavra ficou obscuro, sendo às vezes usado como sinônimo (errôneo) de "fim do mundo".”

Wikipédia

Essa interpretação errada é devido ao Apocalipse de João, daí surgiu a generalização dado o conteúdo principal do livro ser escatológico.

Mas como se pode observar toda revelação é apocalíptica no seu sentido original (léxico).
As profecias de dupla referência trazem em seu bojo revelações, o que as qualifica como apocalípticas, fazendo ela menção tanto a fatos ocorridos antes da criação do mundo, quanto aos referentes aos últimos dias (escatológicos).


Esclarecido o termo apocalíptico fica mais fácil entender as revelações de Isaías, estas são:

Imediatas (as que Isaias profetizava aos seus contemporâneos), são messiânicas (as concernentes a vinda do Messias) e revelações quanto a fatos ocorridos anteriormente no mundo espiritual , como visto na
profecia de dupla referência de Isaias 14.

“Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!
E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte.
Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo.
E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo.
Isaías 14:12-15

A priori Isaias falava ao Rei da Babilônia, e em meio a profecia faz a referência a Satanás que foi lançado a terra. Na máxima concordância e harmonia com os escritos de dupla referência de Ezequiel (que faz a narrativa de Satánas em dupla referência com o rei de Tiro), que trata da existência de Lúcifer antes da queda.

“Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados.
Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas.
Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti.

Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas
Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti.
Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem.” Ez 28:13-18

E fecha perfeitamente com a Revelação de João em Apocalipse 12.

“E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos;
Mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus.
E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele. “ Ap 12:7-9


Até mesmo os livros poéticos como Jó e os Salmos possuem em seu bojo textos apocalípticos (no sentido correto da palavra).

"Então disse: Eis aqui venho; no rolo do livro de mim está escrito." Sl 40:7

"Repartem entre si as minhas vestes, e lançam sortes sobre a minha roupa." Salmos 22 : 18

"E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. E, repartindo as suas vestes, lançaram sortes." Lucas 23 : 34

Agora para arrematar a questão vou postar mais algumas profecias de dupla referência e também a forma que os judeus interpretam escrituras.

"Eis-me aqui, com os filhos que me deu o SENHOR, por sinais e por maravilhas em Israel, da parte do Senhor dos exércitos, que habita no monte de Sião". Isaías 8:18
No entanto, essa declaração é citada em Hebreus 2:13 como se referindo a Cristo e Seus irmãos.”

"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas, para que a possa ler quem passa correndo. Porque a visão é ainda para o tempo determinado, mas se apressa para o fim, e não enganará; se tardar, espera-o, porque certamente virá, não tardará". Habacuque 2:2-3
Essa profecia se aplica à vinda de Cristo em Seu segundo advento em Hebreus 10:37 em que esses versículos são citados em parte nesse contexto.


Veja que caso interessante:

“QUANDO Israel era menino, eu o amei; e do Egito chamei a meu filho”. Oséias 11:1

Refere-se a Israel (Êx 4:22) , mas tem uma dupla referência com Jesus.

Isso pode ser comprovado lendo o evangelho de Mateus

“E esteve lá, até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo profeta, que diz: Do Egito chamei o meu Filho. Mateus 2 : 15

Se a profecia referia-se a Israel e Mateus aplica a profecia a Jesus, onde está o erro?

O erro não está na escritura, mas na interpretação unicamente literal da mesma. (ou seja, não reconhecer a dupla referência).

Como os Rabinos interpretam as escrituras:

4 métodos, a saber:

1º. P’shat (simples)

O sentido literal e pleno do texto. Acadêmicos modernos freqüentemente usam a exegese histórico-gramatical como sendo o único meio valido de lidar com um texto.

Por essa analise poderia considerar que Mateus equivocou-se ou mentiu.

2º. Remez (dica) - presentes numa palavra, numa expressão ou em outros elementos no textoestão dicas sobre uma verdade não estabelecida pelo p’shat

3º. Drash ou midrash (busca) – uma aplicação alegórica ou homilética de um texto.

4º. Sod (segredo) - um significado místico ou escondido, alcançado pela operação de valores numéricos de letras hebraicas, ressaltando formas de soletrar incomuns, transportando letras e coisas do gênero.

Comentário Judaíco do Novo Testamento - David H. Stern

Esses quatro métodos para trabalhar um texto são lembrados pela palavra hebraica “PaRDeS”, um acrônimo formado pelas iniciais; significa “pomar” ou “jardim”.

O que Mateus fez foi ir além do P’shat e interpretar pelo Remez ou talvez pelo Sod (segundo alguns rabinos).

Ou seja, a profecia atendia tanto a Israel como a Jesus Cristo (dupla referência).


The end.

Frases dos mestres

Como nos ensinou Paulo, devemos reter o bem.

"Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai."

Filipenses 4:8


"Examinai tudo. Retende o bem."

I Tessalonicenses 5:21


Aqui estão algumas frases que realmente nos trazem ensinamento.

Que possamos meditar e crescer cada vez mais na graça e no conhecimento. (Lc 2:52 , II Pe 3:18)


"Um verdadeiro amor a Deus deve começar com um deleite na sua santidade."

Jonathan Edwards

"Se você está à procura de uma religião que o deixe confortável, definitivamente eu não lhe aconselharia o cristianismo. "

C.S.Lewis

"O pregador que é exaltado pelos elogios humanos por sua pregação vai afundar sob a crítica humana."

Leonard Ravenhill

"E se você acha ridículo crer que a vida triunfará sobre a morte, então não perca seu tempo com o cristianismo, porque você não pode ser cristão se não acreditar nisso."

Brennam Manning

"Estude a Bíblia para ser sábio; creia na mesma para ser salvo; siga os seus preceitos para ser santo. "

Billy Graham

"Um homem pode falsificar o amor, pode falsificar a fé, pode falsificar a esperança e todas as outras virtudes, mas é muito difícil falsificar a humildade"

D. L. Moody

"Meu propósito na pregação é quebrar o coração duro, e curar o que está quebrado. "

John Newton

"A Bíblia, toda a Bíblia e nada mais do que a Bíblia, é a religião da Igreja de Cristo”.

Charles Spurgeon

“Nenhum dever é mais urgente do que o de demonstrar gratidão.”

Ambrósio

"Cristão é aquele que organiza sua vida segundo os valores de Jesus."

Ricardo Gondim

"O inferno é já não amarmos."

Georges Bernanos

"A Bíblia nos ensina a amar o próximo e também a amar nossos inimigos provavelmente porque eles são, em geral, as mesmas pessoas."

Mark Twain

"Semeie um pensamento ecolherá um ato;
Semeie um ato ecolherá um hábito;
Semeie um hábito e colherá um caráter ;
Semeie um caráter e colherá um destino."


E. D Boardman

"Cristo não é doce enquanto o pecado não se faz amargo para nós."

John Flavel

Quem se casar com o espírito desta era, achar-se-á viúvo na vindoura."

William Ralph Inge


"Atualmente a palavra heresia pode ser definida simplesmente como: Toda ou qualquer crença que se diferencie da sua. "

NeoqJav


O homem depois que morre dorme ou fica consciente?

Muitos acreditam que a morte é um sono do qual despertamos apenas na ressurreição, outros creêm que a morte é só do corpo, a alma porém permanece viva e acordada.

Eu creio nessa segunda hipótese.

Vejamos o que a Bíblia nos revela...

Acontecimentos no além túmulo:

Um dos texto mais difícieis para os que pregam o "sono da alma" é a parábola do Rico e do Lázaro. Justamente por se tratar de uma parábola tentam remover dela seu teor de revelação.

Existem vários motivos para crêr na veracidade dos fatos narrados na parábola, a começar que uma parábola é uma alegoria que utiliza elementos da verdade. Simples assim.

Vamos à Lucas 16:19-31

1º. Cita o nome do pobre: Lázaro (Lc 16:20) (única parábola onde há uma identificação concreta)
Em geral é havia um homem... Certo dia...

2º. Cita o nome de Abrão (Lc 16:22-24) e de Moisés(Lc 16:31) , o que nos situa no espaço e no tempo do acontecimento.

Espaço, por tratar-se do paraíso, haja vista que Jesus falou para o ladrão na cruz que iriam para o paraíso naquele mesmo dia (Lc 23:43), e o paraíso ser de fato na terra (debaixo dela) por Jesus ter dito a Maria Madalena, não me detenhas pois AINDA não subi ao Pai (Jo 20:17).

A palavra diz que ninguém subiu senão aquele que de lá desceu e foi as profundezas da terra.( Jesus) (Ef 4:9). Se ninguém subiu onde estavam os mortos (alma) de quando da morte de Jesus? (Jo 3:13)

Localização no tempo, pelo fato da parábola citar que os irmãos do Rico têm a Moisés (tempo determinado) e os profetas.

E Abraão ainda diz que “quem está aqui não pode passar para ai, e nem daí para cá. O que denota atividade das outras almas (ou espíritos se preferir).

Jesus esclareçe o que significa o Sono da alma aos seus discípulos.


O próprio Senhor Jesus ensinou aos seus discípulos que a palavra “sono” referente aos “mortos” é uma figura de linguagem chamada eufemismo. Sono, dormir, adormecer é morrer (fisicamente).

Depois de dizer isso, prosseguiu dizendo-lhes: “Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou até lá para acordá-lo”.

“Seus discípulos responderam: “Senhor, se ele dorme, vai melhorar”.

Jesus tinha falado de sua morte, mas os seus discípulos pensaram que ele estava falando simplesmente do sono.

Então lhes disse claramente: “Lázaro morreu,”
João 11:11-14

Vou relatar outros fatos que atestam a imortalidade da alma e sua atividade.

1º.


Jesus no além túmulo pregou aos espíritos em prisão, logo ele não poderia estar dormindo para fazer isso.

“Pois também Cristo sofreu pelos pecados uma vez por todas, o justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus. Ele foi morto no corpo, mas vivificado pelo Espírito,
no qual também foi e pregou aos espíritos em prisão

I Pedro 3:18-19

2º.

Moisés (morto na carne) (Dt 34:5) e Elias (só Deus é quem sabe como) apareceram a Jesus no monte da transfiguração, o que indica que eles estavam conscientes e não inconscientes (dormindo).

“Naquele mesmo momento apareceram diante deles Moisés e Elias, conversando com Jesus.”
Mateus 17:3

3º.


"Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó? Ora, Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos." Mateus 22 : 32

"Eu sou o Deus de..." (tempo presente, relatando de pessoas que já morreram na carne)

"Não é Deus dos mortos, mas dos vivos (constituição física e alma)"

4º.

"Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia, e viu-o, e alegrou-se" Jo 8:56


Como seria possível se Abraão já havia morrido quando do nascimento de Cristo?

Pense nisso...


Refutação aos principais argumentos dos defensores da doutrina do sono da alma.

As passagens que os que defendem o sono da alma usam, na verdade estão incorretos em sua interpretação.

Observe:

“Pois os vivos sabem que morrerão, mas os mortos nada sabem; para eles não haverá mais recompensa, e já não se tem lembrança deles.

Para eles o amor, o ódio e a inveja há muito desapareceram; nunca mais terão parte em nada do que acontece debaixo do sol.Ec 9:5-6

Aqui Salomão diz, o mesmo que foi falado por Abraão na parábola de Cristo.
Que o homem não pode vir para o mundo dos vivos, já não há ligação com o nosso mundo.

Outra questão é a lembrança, porque nós nos esquecemos dos mortos. Você é capaz de me dizer sem pestanejar o nome do seu tataravô? Claro que não. Ele foi esquecido...

Outra passagem usada.

Porque na morte não há lembrança de ti; no sepulcro quem te louvará?”

Se não a lembrança, então o morto está dormindo. Mas na verdade é Deus que não se lembra do morto e não ao contrário.

Para reforçar isso que eu afirmei veja esses outros versículos.

Que é o homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites?”Salmo 8:4

“Ora, Deus não é de mortos, mas sim, é Deus de vivos. Por isso vós errais muito. “
Marcos 12 : 27


“E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,”
Hb 9:27

Deus não lembra dos mortos significa que o tempo do homem se esgotou e o Senhor não tem mais parte com eles, cabe ao homem somente aguardar.

Os mortos não louvam ao Senhor, pelo simples fato de NÂO terem mais corpo e não por estarem dormindo, afinal passaram da vida terrena para a morte física.

“ Então o SENHOR Deus formou o homem do pó da terra e soprou em suas narinas o fôlego de vida, e o homem se tornou um ser vivente.Gn 2:7

Tudo quanto tem fôlego louve ao SENHOR. Louvai ao SENHOR. “
Salmo 150:6

Em suma, a alma está acordada conforme a explanação acima, a alma não pode comunicar-se com o mundo dos vivos (Hb 9:27 , Hb 7:9-10), a alma já não tem parte com nada que ocorre debaixo do sol (Ec 9:10).

Em breve estarei preparando um novo estudo a cerca da alma e do espírito onde discorrerei mais sobre o mundo espiritual.

_____________________________________________________________


“O Homem é uma alma que faz uso de um corpo. A alma se mantém em atividade e ultrapassa o corpo”.

Agostinho.

Deus criou o mal?

Esse é outro daqueles assuntos que as pessoas preferem nem comentar.

Mas uma coisa Eu aprendi, não é por deixar de comentar algo (fechar os olhos), que ela vai deixar de existir.

Vamos ao assunto.

Sim, Deus criou o mal.
1º. Motivo para afirmar que Deus criou o mal. Só em Deus habita a plenitude, e só Ele é eterno, sem princípio de dias.
Acreditar que o mal existe por ausência do bem, é tornar o mal eterno sem princípio de dias.
(Para ajudar a compreensão, Deus nos garante a vida eterna, no entanto tanto nós como os anjos somos seres criados, seremos eternos, mas temos principios de dias (relação espaço/tempo).
O Senhor porém é incriado, ou seja sempiterno (sem princípio de dias).
Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver, ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém. I Timóteo 6 : 16
Tudo o mais foi criado.
"Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele." Colossenses 1 : 16
Tudo foi criado por Deus, salvo o bem que é parte dos atributos de Deus.O mal em oposição é um elemento criado e com fim específico, fim esse que será abordado aqui.
"Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o SENHOR, faço todas estas coisas." Is 45:7

"Vês aqui, hoje te tenho proposto a vida e o bem, e a morte e o mal;" Dt 30:15
"Eis que eu criei o ferreiro, que assopra as brasas no fogo, e que produz a ferramenta para a sua obra; também criei o assolador, para destruir." Is 54:16

O fato de Deus ter criado o mal, não faz dele um Deus perverso.
Como tudo no mundo, existe um motivo para isso.Vamos analisar a luz da Bíblia.

Primeira coisa a considerar é que Deus é eterno e nenhum dos seus planos se frustram.
Antes mesmo da fundação do nosso planeta já existiam os anjos, e Deus dotou toda a criação angelical de livre-arbítrio (volição), deu a eles poder e imortalidade.

No entanto, um de Seus anjos se rebelou. Na multidão de seu comércio (sua influência) levou consigo um terço dos anjos.
Esses fatos estão narrados no livro de Ezequiel.

"Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti.
Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas."Ez 28:15-16
Questionamentos que surgem

1º. Como o anjo pode ter pecado?

Isso aconteceu por causa de sua volição, sua liberdade de escolha.Uma vez que Lúcifer optou pelo mal, deixou de participar do bem que é a comunhão com Deus.
Então fica claro que o anjo desde o princípio sabia a diferença entre o bem e o mal.
Fica claro também que o mal já existia antes da criação dos anjos, haja vista ser objeto de escolha.

2º. Se Deus sabe de todas as coisas, por que criou o anjo, ou por que não o impediu?


Deus como já foi dito, dotou sua criação de volição, poder não faltou ao criador para criar todas as criaturas submissas a sua vontade, mas ele preferiu que as criaturas tivessem essa autonomia.
E por quê? Para que aqueles que ficaram com Deus, o fizessem por decisão de fórum íntimo (porque queriam a Deus por eles mesmos) e não por coação decorrente da Soberania Divina.

3º. Se o anjo era perfeito em seus caminhos como pode ter caído?

Perfeição em seus caminhos significa que ele fazia todas as coisas com perfeição e não que ele fosse perfeito em si mesmo. A plenitude de tudo habita somente em Deus.
Isso também não quer dizer que o anjo fosse feito imperfeito para errar, mas sim que ele poderia escolher em continuar sendo perfeito fazendo as coisas que Deus ordenou, ou tornar-se imperfeito pelo simples fato de preterir a vontade de Deus, que é perfeita.

"Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti.
Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem." Ez 28:17-18
O mal na raça humana

E quanto aos homens?O homem também segue o mesmo princípio da criação dos anjos, em termos de imortalidade. Mas o homem tem duas características que o distinguem dos anjos.

1º. Fomos feito a imagem de Deus, conforme sua Semelhança.


"E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. "Gênesis 1 : 26

2º. Os anjos foram criados todos, não se reproduzem entre si. No entanto o homem desde o príncipio foi dotado da capacidade de se reproduzir, para fins de povoar e dominar a Terra.

"E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra." Gn 1:28

O Senhor dotou o homem do mesmo livre arbítrio que os anjos, mas a diferença é que o homem não conhecia o mal. E deveria permanecer assim.
Quando da criação do homem Lúcifer já havia se tornado Satanás (adversário) e já planejava arruinar os planos de Deus.
Para realizar seu intento se valeu da serpente a qual possuiu (essa é sem dúvida a primeira possessão demoníaca da história), e seduziu a Eva.

Eva caiu devido ao seu livre arbítrio, independente dela saber ou não a distinção do bem e do mal ela fez o que era mal aos olhos de Deus.Decorrente disso Adão pecou, e toda a humanidade tornou-se pecadora.
Hoje todos os homens continuam com seu livre-arbítrio, mas ele está debilitado, inclinado sempre para o mal.
A ligação com Deus foi rompida assim como aconteceu com os anjos caídos. Mas a nós foi dado uma oportunidade de reatar com o Criador. Através de um Salvador que é o próprio Deus.

Mas retomemos a questão do mal.
Questionamentos que surgem II
1º. Se Deus sabia que o homem pecaria, porque o criou?

Pelas mesmas razões que os anjos, Deus sabe o final de todas as coisas, e a sua criação não irá se perder. No entanto Deus quer apenas aqueles que de fato querem estar com ele, nunca por coação, mas sempre por decisão individual de fórum intimo.

2º. Se o homem não conhecia o mal , como pode ser culpado dele?

O homem é culpado da desobediência, Deus foi bem claro, disse para não comer. Se o homem tivesse obedecido, o pecado nunca teria se consumado, independente ou não da existência do mal.
O pecado nada mais é do que ação concreta de um ato contrário a vontade soberana de Deus.
O mal é o oposto do bem, que é Deus.

3º. Mas afinal, então para que o mal, Deus não poderia ter simplesmente não criado o mal?

Sim. Mas é preciso compreender que para haver julgamento, tem que haver crime, para ser crime, tem que haver uma legislação infringida.
Para infringirmos uma lei, nos colocamos entre elementos de escolha, respeitar ou não a lei.

Foi assim com Satanás, o mal estava lá, para que ele pudesse escolher, mas Não para ser escolhido (mesmo sendo uma opção).

Foi assim com Adão e Eva, o mal estava lá (apesar de não fazerem distinção), Deus foi claro quanto ao que não fazer e as conseqüências da ação. (Lei convergente e sansão)

"E ordenou o SENHOR Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente,
Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal,
dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás."Gn 2:16-17

Deus de fato quer apenas aqueles que o amam, e não os que escolhem não amá-lo.

"Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem." João 4 : 23

4º. Deus criou o pecado?

Não. O pecado é uma consequência de escolha. Quando fazemos a vontade de Deus não pecamos (não erramos o alvo literalmente falando), quando escolhemos o mal, com toda certeza estaremos fazendo algo contrário a vontade de Deus. Logo pecamos (erramos o alvo, que é a vontade de Deus).

"Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta.
Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência".Tg 1:13-14

A quem defenda que Deus criou o mal e o pecado, fez com que o anjo caísse e o homem caísse. Para que assim pudesse levar a cabo o seu plano da pré-eleição.
Me refiro aos Calvinistas e Reformados.

O maior defensor dessa doutrina é Vicent Cheung -
presidente da Reformation Ministries International [Ministério Reformado Internacional]

Mas como concordar com isso e ir contra o ensino de Tiago que nos instrui que Deus não pode ser tentado e não tenta a ninguém, antes é o homem quem escolhe pecar.
Deus criaria Leis, e faria o homem pecar contra elas em um ato deliberado? Claro que não.
Pecado é deixar de se conformar à LEI DE DEUS, seja em ato, seja em atitude, seja em natureza”. [Wayne Grudem, em Teologia Sistemática, Vida Nova, página 403].
Na Escritura, o mal moral existente no mundo transparece claramente como pecado, isto é, como transgressão da LEI DE DEUS”. [Louis Berkhof, em Teologia Sistemática, Cultura Cristã, página 204].
As conseqüências de doutrinas como a de Cheung, é tentar reconhecer a Deus como mentor intelectual de todas as atrocidades e catástrofes existentes. Isso ao meu ver é heresia.

"Eis aqui, o que tão-somente achei: que Deus fez ao homem reto, porém eles buscaram muitas astúcias". Ec 7:29
5º. O mal é eterno?
Sim e não. O mal na humanidade vai findar, quando Jesus voltar e Deus criar novos céus e nova terra. Is 65:17, Is 66:22 , II Pe 3:13 , Ap 21:1 , Ap 21:4
No entanto para os que perderem a Salvação, viveram tormentos eternos, e isso é a mais contundente prova da perpetuidade do mal. II Pe 2:17 , Dn 12:2
"Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;" Mt 25:41

Há ainda os que defendem que o mal é a ausência do bem. Aqueles que estão afastados do bem são controlados pelo mal, e os que têm a Deus são controlados pelo bem, logo não podem ser maus.
Mas não existe base bíblica para isso.

Veja porque:

Paulo era mal?Não, afinal ele tinha a Deus. No entanto o que imperava nele era o mal.

"Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço".Romanos 7 : 19

Mesmo querendo fazer o bem acabava fazendo o mal (debilidade humana).

Essa idéia de mal como falta do Amor de Deus ou ausência do bem , só satisfaz a duas qualidades de pessoas.

Os Aniquilacionistas (que acreditam que Satanás e os impíos serão destruídos definitivamente).

Os Universalistas (que acreditam que Deus no final perdoará a todos, até mesmo a Satanás).

Por esse pensamento o mal passa a deixar de existir, ao não ter mais a quem punir, ou pelo perdãouniversal, ou pelo aniquilamento dos maus.

Ambas as linhas de pensamento são incorretas, porque o Senhor afirma em sua Palavra que haverá punição, e que suas consequências são eternas.
II Pe 2:17 , Dn 12:2

Em suma, Deus criou o mal para que a sua criação pude-se ser crivada, ou seja para que Deus pude-se selecionar entre toda a sua criação aqueles que realmente querem estar com ele, compreendo que Deus é Amor e digno de toda a adoração.


"Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações". Tg 4:8

Podemos obrigar alguém a nos amar, não de forma nenhuma, nem Deus faz isso.









"Porventura da boca do Altíssimo não sai tanto o mal como o bem?"

Lamentações 3:38